O polêmico videoclip de David Bowie com Gary Oldman e Marion Cotillard


The Next Day – faixa que dá título ao álbum com que David Bowie encerrou em março uma década de silêncio -, foi retirado na terça-feira passada (07) do Youtube, poucas horas após seu lançamento. Postado pela Vevo – canal que reúne diversos clips -, o vídeo foi denunciado como impróprio pelos usuários que não gostaram de ver referências religiosas, sangue, flagelações, nudez e insinuações sexuais no novo trabalho do músico britânico. O videoclipe já retornou, com restrições etárias.

No vídeo, Bowie vestido como um profeta, toca com sua banda num bar sórdido por onde passam prostitutas, clientes, freiras, padres e até um cardeal. Um desses”religiosos”, briguento e pervertido, é interpretado por Gary Oldman (O Cavaleiro das Trevas Ressurge), que protagoniza uma dança sensual com a francesa Marion Cotillard (A Origem), cujas mãos começam a sangrar, em referência a um dos estigmas de Jesus Cristo. A direção é da italiana Floria Sigismondi, bastante conhecida no métier:

De acordo com a Billboard, o Youtube admitiu em comunicado que o clip foi deletado por engano. “Com o grande volume de vídeos em nosso site, algumas vezes cometemos erros. Quando nos chama a atenção que um deles foi apagado erroneamente, agimos rapidamente para recuperá-lo”, disse uma porta-voz da rede social.

Quem não ficou nada satisfeita com o retorno de The Next Day foi a Liga Católica para Direitos Religiosos e Civis, organização conservadora dos EUA. Em nota, a entidade chamou o vídeo de “uma bagunça” e acrescentou:
[quote_box_center]David Bowie está de volta, mas tomara que não por muito tempo. O senhor cidadão londrino bissexual ressurgiu, dessa vez interpretando um personagem como Jesus, que frequenta uma boate suja. Certamente ele não pára de pensar sobre a melhor de todas as religiões, o Catolicismo Romano. Ainda há esperança para ele.[/quote_box_center]