Michael Heneke é bicampeão no Festival de Cannes


Amour, novo filme do diretor Michael Haneke (vencedor em 2009 por A Fita Branca), foi o grande vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2012. Com o bicampeonato, o austríaco entrou num seleto clube de duplos vencedores da Palma que inclui os irmãos belgas Luc e Jean-Pierre Dardenne (Rosetta, A Criança) e o sérvio Emir Kusturica (Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios, Underground).

Protagonizado por Jean-Louis Trintignant (A Fraternidade é Vermelha) e Emmanuelle Riva (Hiroshima Meu Amor), a fita segue um idoso professor de música que vê o seu amor posto à prova quando sua esposa sofre um derrame e fica parcialmente paralisada. Durante a cerimônia de premiação, Nani Moretti, presidente do júri, fez um menção especial aos protagonistas, dando entender que os atores não foram contemplados porque o regulamento do Festival impede que outros prêmios sejam entregues ao filme vencedor da Palma.

O Grande Prêmio do Júri, segundo lugar na competição, ficou com o italiano Reality, de Matteo Garrone. A história, uma sátira a televisão, conta a história de um divertido pescador, selecionado para participar de um reality show. No papel principal está Aniello Arena, condenado à prisão perpétua na Itália. O ator faz parte de uma companhia de atores constituída apenas por detentos. O diretor Garrone obteve autorização judicial para conseguir que ele participasse do filme.

O prêmio mais controverso foi o de Melhor Diretor, entregue ao mexicano Carlos Reygadas por Post Tenebras Lux, filme incompreensível que recebeu muitas críticas negativas de toda a imprensa. Em seu discurso, Reygadas ironizou agradecendo ao público e aos membros da mídia por “só falar coisas boas sobre o filme”.

Entre os atores, o dinamarquês Mads Mikkelsen, escolhido para viver um dos vilões de Thor 2 levou o prêmio de Melhor Intepretação Masculina por Jagten, de Thomas Vinterberg, onde faz um homem acusado de pedofilia por sua comunidade. As romenas Cosmina Stratan e Cristina Flutur, de Dupã Dealuri, dirigido por Cristian Mungiu, dividiram o troféu de Melhor Atriz.

A Caméra d’Or, concedida ao melhor filme de um diretor estreante, foi para o americano Beasts of the Southern Wild, de Benh Zeitlin, que já havia vencido dois prêmios no Festival de Sundance em janeiro. O júri foi presidido pelo brasileiro Carlos Diegues. E por falar em Brasil, Na Estrada, de Walter Salles, que recebeu uma acolhida apenas morna da imprensa internacional, saiu do festival de mãos abanando. Confira abaixo todos os agraciados:

Palma de Ouro
“Amour”, de Michael Haneke (França)

Grande Prêmio do Júri
“Reality”, de Matteo Garrone (Itália)

Melhor Atriz
Cosmina Stratan e Cristina Flutur, por “Dupã Dealuri”, de Cristian Mungiu (Romênia)

Melhor Ator
Mads Mikkelsen, por “Jagten”, de Thomas Vinterberg (Dinamarca)

Melhor Diretor
Carlos Reygadas, por “Post Tenebras Lux” (México)

Melhor Roteiro
“Dupã Dealuri”, de Cristian Mungiu (Romênia)

Prêmio do Júri
“The Angel’s Share”, de Ken Loach (Reino Unido)

Caméra d’Or
“Beasts of the Southern Wild”, de Behn Zeitlin (EUA)

Melhor Curta-Metragem
“Silêncio”, de L. Rezan Yesilbas (Turquia)