Crítica: Pronto para Recomeçar

Pronto para Recomecar

Pronto para Recomeçar tinha tudo para ser um bom drama, mesmo com a presença de Will Ferrell. O ator mostrou competência para papéis sérios em Mais Estranho que a Ficção e um novo filme onde ele não precisasse apelar para caretas, piadas chulas e gags visuais era muito aguardado. Porém, assim que começa o primeiro longa dirigido pelo estreante Dan Rush, descobrimos que fitas muito monótonas podem se tornar um grande sonífero se você não conseguir conectar-se com a história.

Na trama, um quarentão (Ferrell) perde o emprego, no mesmo dia em que é abandonado pela esposa por conta de seu alcoolismo sem fim. No fundo do poço, ele passa a viver no jardim em frente a casa onde morava, uma vez que sua mulher jogou lá todos os seus (inúteis) pertences e trocou a fechadura da porta. Disposto a vender tudo que tem num yard sale (prática comum nos EUA) improvisado, convoca o seu novo vizinho, um garotinho de apenas 11 anos, para ajudá-lo nesta ação.

A idéia não é ruim, não é mal executada e nem mal dirigida. Mas alguma coisa não se encaixa. Talvez a narrativa lenta seja o ponto mais prejudicial. A câmera sonolenta de Rush é algo que funciona poucas vezes, tirando o ritmo do filme. A amizade criada dentro da trama pelos personagens de Ferrell e do garotinho Christopher Jordan Wallace não passa muita veracidade e, ao mesmo tempo que se aproximam, continuam bem afastados. Esse ioiô emocional que o protagonista vive é fórmula batida em muitas produções do gênero.

Alguns diálogos são bem elaborados e o entrosamento nesses momentos é notório. Mas é a bela Rebecca Hall (Atração Perigosa) a melhor coisa de Pronto para Recomeçar. A atriz consegue incorporar bem sua personagem, bastante complexa por sinal – uma esposa grávida obrigada a se mudar por conta da profissão do marido, constantemente ausente – e tem boas cenas com Nick Halsey, o personagem de Ferrell. Não criem muito expectativa e talvez o filme não pareça tão vazio.

(2/5)
Pronto Para Recomeçar (Everything Must Go)
Estados Unidos, 2011 – 97 min.
Direção e Roteiro: Dan Rush.
Elenco: Will Ferrell, Rebecca Hall, Michael Peña, Laura Dern, Christopher Jordan Wallace.