Home Críticas

Crítica: Doce Vingança


Doce Vingança

Doce Vingança é o remake do controverso sexploitation I Spit On Your Grave (algo como Eu cuspo em sua cova, batizado no Brasil de A Vingança de Jennifer), que causou bastante polêmica em 1978, e por pouco não foi banido dos EUA. Naqueles revolucionários anos que marcaram a década de 1970, alguns enxergaram na brutalidade do longa dirigido por Meir Zarchi, uma metáfora para a emancipação feminina. Já esta refilmagem desnecessária, só podemos entender como um caça-niqueis produzido especialmente para a geração torture porn.

Na trama curta e crua, a jovem escritora Jennifer Hills (Sarah Butler) decide refugiar-se numa cabana isolada na floresta, numa cidadezinha esquecida do mapa, para escrever o seu novo romance. O que prometia ser um idílico contato com a natureza transforma-se num pesadelo quando quatro moradores locais decidem invadir o lugar e torturar a garota. Desmoralizada, estuprada e humilhada, Jennifer consegue sobreviver e começa a arquitetar sua vingança.

A base da narrativa, adaptada aos dias atuais, é um pouco diferente do original mas igualmente recheada de trechos chocantes que podem sensibilizar algumas pessoas, como as cenas de tortura psicológica, o estupro da protagonista e as armadilhas a la “Jogos Mortais”. É a degradação humana colocada a serviço de inescrupulosos realizadores que não se incomodam em deliberadamente brutalizar o espectador a troco de dinheiro fácil. Algo cada vez mais corriqueiro nos filmes de horror, que parecem estar disputando para ver qual “supera” o niilismo existencial do outro.

Sendo assim, o inexpressivo diretor Steven R. Monroe – mais conhecido por seus trabalhos televisivos para o canal Syfy – até consegue criar uma atmosfera de tensão em alguns momentos, mas o clima volta e meia é prejudicado por atuações canhestras. Para piorar, o roteiro abusa de cliches e personagens esterotipados usados à exaustão pelo gênero: moça sozinha, lugar isolado, um velho sinistro no meio do caminho, câmeras subjetivas, retardado com bom coração, policial escroto e jovens sádicos (munidos com uma filmadora).

O filme de Zarchi estava à frente do seu tempo em tantos níveis que hoje em dia é estranho que não seja mais lembrado. Acreditando que precisava reciclar sua obra para esta nova e doentia geração é que ele topou a empreitada de produzir este remake. Mas o mundo mudou desde então e, por conseqüência, também o espectador. O que chocava há 30 anos, agora é ignorado. Não fosse o providencial rótulo “refilmagem de um cult setentista”, Doce Vingança certamente passaria despercebido.


Doce Vingança (I Spit On Your Grave)
Estados Unidos, 2010 – 108 min.
Direção: Steven R. Monroe. | Roteiro: Stuart Morse.
Elenco: Sarah Butler, Jeff Branson, Andrew Howard, Rodney Eastman, Daniel Franzese.

Conteúdo Relacionado

Comentários no Facebook

28 Comentários

  1. Cara! Sinceramente eu amei o blog e as críticas, mas gostei do filme, mesmo contendo imagens ”fortes”, ele é bom, retrata a crueldade que algumas pessoas podem fazer. Mas desde ja, elogios sao poucos para a critica, foi ótima voce soube destacar os elementos sentimentais e literais do filme.

    Parabéns!!!

    BM: Beijos Molhados.

  2. 3,5? Eu não daria nem um 1. Sim, o filme é forte, mas não como o "I Spit On Your Grave" de 1978. O remake (como foi citado na crítica) é muito forçado. Feito somente pra chamar atenção e ganhar mais e mais dinheiro. Vamos ver até onde vai essa geração do cinema (pobre). Eu duvido os realizadores desse filme terem estômago e cérebro suficiente pra ver um verdadeiro filme de tortura, como "Guinea Pig Part 1 – Devil's Experiment", de 1985 (fica a dica para quem tem um bom psicológico).

  3. nossa filme assustador induz pessoas doidas a matarem credo mas é legal eu se fosse ela faria o mesmo também ela estava perturbada #medinho rsrsrs

  4. Eu gostava de vim ai getro ler as críticas e ver os posts mais agora só vejo os posts porque suas críticas além de falarem mal de quase todos os filmes contam o filme linha por linha e isso vai fazendo com que ninguém veja o filme, eu vi o filme antes dessa crítica e gostei mas se eu lesse a crítica antes ia ficar com raiva e não ia assistir ao filme pois você sempre conta o filme e isso deixa ele uma m&r#@ e assim ninguém quer ver mas quando vê acha ruim por ja saber o que irá acontecer.
    Se for fazer a crítica de um filme pelo menos diga que não gostou e PONTO não fique dizendo coisas como: "é cliche" "a namorada burra que se mata" "o retardado bonzinho" "o bonzinho que é o assassino" "o principal que morre no final", essas coisas não se devem dizer em uma crítica se não todos vão perder a vontade de assistir ao filme, se você não gostou do filme NÃO CONTE, deixe que alguns decidam ver por si próprios com sua crítica SEM CONTAR O FILME mais que fala que não gostou do filme.

    Até o/

    • Olá, André.

      O que eu fiz foi \”chover no molhado\”. Não disse algo que já não fosse óbvio. As gerações mais novas parecem se identificar com estes filmes ultra-violentos, fazer o que?

  5. vi o filme li a critica e os comentarios. a fotografia do filme é pessima, o elenco nem mediano é de tao ruim, os cliches sao bombas jogadas a torto e a direito no filme, a violencia choca sim mas abusar demais da violencia nao chega a chocar, no maximo me faz tirar os olhos da tv e por no twitter enquanto o filme rola.

    a trilha sonora é quase esquecida, gente o que mais me matou mesmo foi ver que teve gente que comparou isso com o classico panico do talentoso wes craven. PARA NE? digo a todo mundo e repito aqui. antes de tudo vejam o original que da de 10 a 0 nesse remake.

    PS: o site é otimo as criticas sao divinas! bom trabalho

  6. adorei o filme, todo tarado era pra se foder assim tb, homem tem que aprender a respeitar a mulher independentemente dela ser uma santa ou uma puta.

  7. Excelente filme. Melhor que muita porcaria que tem por ai. E não entendo os "críticos de cinema" acham que tudo o que falam prevalece. Recomendo o filme.

  8. É um filme com clichês e até me lembrou o fiasco filme "Tamara".A história é mal desenvolvida,quando comecei a assistir achei que era só mais uma daqueles filmes ridículos de suspense como "Pânico",até me deu vontade de parar de assistir.Mas depois da cena do estrupo(que me lembrou um pouco"Rejeitados pelo diabo")vi que a história era outra.Gostei do filme,principalmente das armadilhas criativas à la Jogos mortais.

  9. Bom,eu simplismente AMEEEEEI 'Doce Vingança' simplismente PERFEITO!

    penso que se todas as mulhres violentadas do mundo agissem como agiu a Jennifer o mundo seria outro…Mas,estamos aqui para comentar sobre a refilmagem…

    E o que importa 'Doce Vingança' ser uma refilmagem de 'A Vingança de Jennifer'?algum problema?

    Para mim,o que importa é que o filme é simplismente PERFEITO pra mim(quero deixar bem claro),ainda não tive a oportunidade de assistir 'A Vingança de Jennifer' de 1978.Mas,pretendo o assistir.Bem,tá postado a minha opnião…Beijos gente.

  10. Nossa, discordo totalmente. Realmente o filme tem clichês, mas isso em filme de terror (e remake ainda) é algo natural.

    Vejo em uma perspectiva moral. A crueldade humana, a falta de valores, a falsidade, o desprezo pela vida, o ódio, a vingança. Eu não duvido que existam pessoas assim ou até piores.

    Além disso, o filme cumpre o que promete. Sacia a vontade do espectador em ver alguém pagando por uma injustiça, de acordo com a lei de Talião. Ainda mais nós brasileiros que vivemos a era da impunidade com a nossa Justiça atrasada e cheia de brechas que favorecem criminosos.

    PS: Não sou a favor da justiça com as próprias mãos, mas senti satisfação com a conclusão do filme.

  11. Tu descreveste alguns clichês do filme: "moça sozinha, lugar isolado, um velho sinistro no meio do caminho, câmeras subjetivas, retardado com bom coração, policial escroto e jovens sádicos (munidos com uma filmadora).

    Vale lembrar que tais "clichês" são o básico para fazer um filme de terror. Reclamar disso é como assistir a um filme do Indiana Jones e dizer que mostrar cenas de ação é um clichê.

    Esse filme, mesmo longe de ser uma obra-prima do gênero, cumpre bem o seu papel.

    • Como não? Apesar de mortes cruéis, cada um ali teve a morte que mereceu (mesmo eu achando q a morte não seja justo para pessoas assim q deveriam pagar por toda a vida).

      Não seja tão feminista e lembre-se q existem pessoas q prezam pela vida e pelo próximo. Não fique criando barreiras entre sexos, raças ou qualquer outra distinção.

  12. O comentário que fiz abaixo foi o primeiro que postei aqui, agora que já dei uma passeada pelo site digo que este 3,5 está mto a quem se comparado a outras notas… que diga o 7 superfaturado do drag me to hell, ts ts ts. Eu inverto isso ai fácil.

    ps: adorei o site espero poder pentelhar por aqui mais vezes!

  13. Gostei da crítica apesar de não concordar com boa parte do que foi dito. O violentar/ torturar sempre é chocante, se não choca o problema é com a cabeça de quem acha isso banal, não do filme. Aliás alguém aqui consegue citar algo que realmente choque a geração de hj? Concordo que o cenário em si e os personagens são clássicos, pra não dizer batidos, mas fazer o que??? Afinal das contas, não se trata de remake?!

    Particularmente achei mto bom o filme, quando a atuação pecava o enredo ajudava e vice versa, não é uma obra prima do gênero, mas bem superior a remakes do nível de piranhas 3d por exemplo, esse sim brutaliza (a inteligência) do espectador a troco de dinheiro fácil. E se este filme passa batido é justamente por falta de divulgação, normal dado o conteúdo exibido… engraçado que eles não queriam dinheiro fácil? o.O

  14. Pretendo ver esse filme não sei se irei ao cinema é mais provável que eu assista em dvd ou baixe .ótima crítica.

    abraço.

  15. Lamentável essa onda de remakes que anda acontecendo. Já fizeram uma refilmagem ridícula de "Aniversário Macabro", de Wes Craven, e agora fizeram de "A Vingança de Jennifer". Realmente lamentável!

    Essa história de fazer refilmagens para que essa nova geração conheça os originais, pra mim é papo furado.

    Assistirei a esse remake, mas não no cinema, baixarei quando já estiver disponibilizado com imagem boa, pois não vou dar um centavo se quer para esse filme caça-níqueis sem vergonha.

    No mais, boa crítica… Gosto do seu blog, sempre passo aqui para ler suas críticas etc.

    Abraço.

    • odi ei esse filme nao sei pq asisti se qual quer dia eu voutar para o estados unidos ou seila vou falar um monte que essa mulher é uma vaca filha da puta

Deixe uma resposta: