Crítica: Livrai-nos do Mal


Filmes de terror já passaram pelos mais diversos terrenos e o gênero definitivamente não é uma novidade para o cineasta Scott Derrickson, diretor de O Exorcismo de Emily Rose e A Entidade. Em Livrai-nos do Mal, ele se afasta do design típico do terror para abraçar uma nova abordagem com a junção de dois gêneros cinematográficos que rotineiramente não se cruzam: drama policial e horror paranormal. O resultado é notável e cheio de suspense, mas não consegue fugir de todos os clichês.

A história começa como uma combinação entre Se7en e O Exorcista, onde o policial cético Ralph Sarchie (Eric Bana) está empenhado em resolver crimes que parecem ter sido causados por uma série de casos de possessão demoníaca. A medida em que investiga os incidentes, suas crenças são colocadas à prova e ele procura ajuda do sacerdote Joe Mendoza (Edgar Ramírez), cuja a própria fé também já foi colocada na berlinda, para ajudá-lo nas investigações.

Através do uso de sombras e de luz, a cinematografia é um dos maiores componentes para fornecer medo. A falta de luz frequente parece ser usada como espaço para alimentar a imaginação antes do susto. No entanto, mais do que sustos, um longa de terror precisa de um bom enredo e isso a fita tem de sobra. A tendência realista da trama e o seu desenrolar faz com que o espectador anseie por mais informações, arrastando o interesse até o final.

Porém, os pontos altos perdem o brilho nos personagens clichês. O personagem de Bana é aquele homem que perdeu a fé espiritual depois de um acontecimento que mudou sua vida, típico em filmes com teor sobrenatural – especialmente os que abordam exorcismo. Também já vimos por aí o padre moderninho Joe, que é cheio de falhas, mas persiste por razões pessoais.

Livrai-nos do Mal é sombrio, mas não é particularmente assustador. É mais um suspense policial com uma abundância de imagens assustadoras que, se vistas em um ambiente propício, poderão causar arrepios. Apesar do pesares, um filme original e criativo, desviando do caminho tomado pela maioria dos filmes modernos do gênero. Vai agradar não só os amantes do terror, mas qualquer um que aprecie um bom thriller – e que não se importem de ver um bom e velho exorcismo.

Livrai-nos do Mal (Deliver Us From Evil)
Estados Unidos, 2014 – 118 min.
Direção: Scott Derrickson. | Roteiro: Paul Harris Boardman e Scott Derrickson.
Elenco: Eric Bana, Édgar Ramírez, Olivia Munn, Chris Coy, Sean Harris Joel McHale.

AVALIAÇÃO POR CATEGORIA
História e Roteiro:
Nível de Interpretação:
Qualidade Técnica:
Direção:
Artigo AnteriorSilvio Santos faz pegadinha assustadora com "Annabelle"
Próximo ArtigoGetroself #10: Cinquenta Anos de Zé do Caixão
Estudou audiovisual, mas trabalha com internet. É obsessiva por filmes de terror, mas seu filme preferido é do Kevin Smith. Sofre de misantropia crônica, mas acha o John Waters o homem mais legal do mundo.