Crítica: Lunchbox


As pessoas entram em nossas vidas por acaso, mas não é por acaso que elas permanecem. Escrito e dirigido pelo cineasta indiano Ritesh Batra, em seu primeiro longa-metragem na carreira, Lunchbox é uma surpreendente e delicada história que mescla comédia, romance e drama, tudo muito bem estruturado. Produção simples, que foge do esquemão épico/musical comum dos filmes bollywoodianos, merecedora de toda a ovação que vem recendo do público e crítica nos países onde foi exibido.

Na curiosa história, conhecemos dois personagens que sofrem por amor, cada um à sua maneira. Saajan Fernandes (interpretado pelo excelente Irrfan Khan de As Aventuras de Pi) é um homem solitário que está prestes a se aposentar depois de 35 anos trabalhando na mesma empresa. Já Ila (Nimrat Kaur) é uma mulher que se sente muito sozinha, pois, é rejeitada pelo marido que a trai constantemente. Quando um equívoco no Dabbawallahs – serviço delivery de comidas extremamente ágil, considerado pela revista Forbes como um dos mais engenhosos do mundo, visto que não conta com recursos avançados – faz com que o almoço do marido de Ila vá parar nas mãos de Saajan, essas duas almas carentes iniciam uma troca de correspondências através de bilhetes enviados juntos com as marmitas.

A delicadeza com que é apresentada a evolução desse relacionamento é encantadora. A narrativa leve, gostosa e engraçada cativa o público do primeiro ao último minuto. Nos sentimos nos sensíveis filmes de Fellini, nas conturbadas situações dos dramas de Truffaut, nas boas e hilariantes comédias francesas. Apesar de estreante, Batra se mostra extremamente competente ao conduzir a trama, de forma bem humorada – apesar do sofrimento presente nas duas realidades apresentadas -, encaixando cada personagem de maneira harmoniosa com a história.

Lunchbox chega num bom momento do cinema indiano, afastando os preconceitos estereotipados de que as produções daquele país obrigatoriamente enfiam dancinhas no final de suas histórias. E se fosse o caso, qual o problema? É da cultura alegre deles, isso é louvável. Vai dizer que você nunca se imaginou dançando junto com o elenco de Quem quer ser um Milionário no desfecho do filme?

O filósofo alemão Schopenhauer costumava dizer que o destino embaralha as cartas, e nós as jogamos. Não é verdade? A película de Batra mostra exatamente isso. Há uma ação do destino para aproximar os personagens, mas quem decide como será o o final da história são as ações deles. Esta é uma obra especialmente recomendada para todo mundo que acredita nos seus sonhos. Às vezes, o trem errado vai para a estação certa. Mantenha isso em mente!

Lunch Box (The Lunchbox)
India/França/Alemanha/Estados Unidos, 2013 – 104 min.
Direção e Roteiro: Ritesh Batra.
Elenco: Irrfan Khan, Nimrat Kaur, Nawazuddin Siddiqui, Lillete Dubey, Nakul Vaid.