Crítica: Chernobyl

Não deixa de ser curioso (e até original) que um filme resolva abordar a temática do desastre nuclear da usina de Chernobyl de maneira fantástica, mostrando as possíveis consequências da radiação liberada com o passar dos anos. E essa curiosidade é, na verdade, a maior qualidade desse Chernobyl, longa de estreia do diretor Bradley Parker, que conta aqui com a colaboração de Oren Peli, criador do sucesso Atividade Paranormal.

Na trama, três amigos, viajando pela Europa/Ásia, vão visitar o irmão de um deles em Kiev antes de completarem seu passeio até Moscou. Chegando lá eles recebem o convite para fazer o chamado “turismo radical” que consiste em visitar a pequena cidade de Pripyat, abandonada há décadas devido ao desastre nuclear na vizinha Chernobyl. Devido aos elevados graus de radiação, ninguém deve ficar mais de duas horas no local, porém não demora para perceberem que as coisas não vão sair conforme o planejado.

A premissa é até interessante, mas o longa já derrapa logo de cara em atuações ruins e diálogos sem ritmo e autoexplicativos, o que dificulta o público se identificar com os personagens (regra básica em qualquer filme de terror). Não só isso, mas o roteiro (escrito por Peli em parceria com Carey Van Dyke e Shane Van Dyke), ainda insere situações inverossímeis. E mais, quando chega o momento de finalmente dar alguma explicação, as mesmas, além de não fazerem muito sentido, são apresentadas de maneira acelerada e pouco convincente (sem mais nem menos um personagem pergunta para o outro “Diga-me o que você sabe?”, como se essa fosse uma suspeita que ele tinha o tempo todo, algo que o filme não mostra).

Utilizando um estilo quase documental, com a câmera tremendo e cortes secos, Parker consegue criar um clima cru, utilizando-se bem dos momentos de silêncio para causar tensão, algo auxiliado pela fotografia sombria e o extenso uso de vultos e sombras. Entretanto, ele acaba se mostrando bastante limitado nas cenas que exigem uma carga dramática maior – como nas cenas de morte, onde o uso do silêncio (elogiado anteriormente) se torna apelativo.

Rendendo alguns bons sustos, Chernobyl entrega um resultado apenas mediano, que dificilmente repetirá o sucesso de Atividade Paranormal. Sem grandes chances de se tornar uma franquia, o longa pode ainda inviabilizar que outras produções similares sejam realizadas, o que não deixa de ser um desperdício de potencial.

(2/5)
Chernobyl (Chernobyl Diaries)
Estados Unidos, 2012 – 86 min.
Direção: Bradley Parker. | Roteiro: Oren Pelil, Carey Van Dyke e Shane Van Dyke.
Elenco: Jesse McCartney, Jonathan Sadowski, Olivia Dudley, Devin Kelley, Nathan Phillips.

  • Todo mundo falando mal desse título, que eu acredito ser mesmo ruim, e mesmo assim eu quero muito vê-lo. Acredito que eu vou me divertir um pouco.

  • anonima

    ODIEI

  • falo sim

    o q me assustou msm foi ver o documentario da discovery, mostrando o nucleo incandescente exposto, os caras sendo obrigados a trabalhar nos destroços, e os 3 herois q tentaram abrir as bombas de resfriamento manualmente, q relataram sentir agulhas atravessando o corpo. obviamente q eles morreram no reator msm, onde os corpos estao sob o sarcófago de concreto…
    a população precisou sair em questão de minutos, e os que ficaram morreram ou tiveram filhos com poblemas congênitos, más formação de mebros, ausência total ou parcial de órgãos…
    isso sim é aterrorizante.

    filminho de adolescente pagando de aventureiros é tão bobinho. não me chama nem um pouco a atenção.

    • bla

      como eles relataram se eles morreram? tinha mais alguém la com eles? radio? telecinese?

  • anônimo

    meu, esse filme é péssimo. ODIEI O FILME E QUERO MEU DINHEIRO DE VOLTA DESDE QUE EU SAI DA SALA DO CINEMA. nunca vi um filme tão podre na minha vida

  • O filme é bom, não é tão ruim assim como dizem, é meio sem noção, mas faz você pular da poltrona de tanto medo em algumas cenas, o suspense é inevitável.
    O que não gostei foi que não sabemos de onde surgiu aqueles "médicos e enfermeiros" no final do filme, e nem o porque deles terem "matado" a última sobrevivente!

  • renan

    filme mais lixo que já assisti em um cinema!
    pela história que tem em torno de chernobyl, daria pra fazer coisa bem melhor…
    fujam dessa merda!!!
    também quero meu dinheiro de volta!

  • Gabi

    cara, eu odiei esse filme. é horrivel, e não encontrei suspense algum.
    assistir a este filme é pura perda de tempo.

  • Edgar

    É poooooooooooooooooooooooodre esse filme!! fica silêncio toda hora!!
    vc num entende quem matou quem.

    eu vi completamente entediado o filme!

  • Thelrys

    Eu assisti e realmente o filme é bem ruinzinho! Atuações fracas, nada é explicado no filme, quase não há momentos que façam o filme valer e o final é decepcionante.
    O pior de tudo é que a história tinha muito potencial mesmo. Acho que ninguém havia explorado o tema que o filme quis explorar.
    Não tem o menor cabimento fazerem uma continuação. Eu não achei que tinha algo que levasse a uma continuação.
    Eu ainda pensei em ver esse filme no cinema, mas ainda bem que não vi, pois teria me arrependido bonito.
    Acabei o filme sem entender muita coisa e o filme nem tenta se explicar.
    Não recomendo!
    Quem assistir tem grandes chances de se arrepender e se decepcionar.

  • ricardo

    Sinceramente, a única cena que me surpreendeu, foi a do urso que aparece derrepente bem no comecinho, de resto, simplesmente deplorável e sem graça.