Geniais posters de filmes que não existem


Se eu fosse dono de uma agência de publicidade e tivesse como cliente algum estúdio de cinema, já teria contratado o francês Pascal Witaszek. Criativo, inovador e genial, o sujeito, que entende de design gráfico e manipulação digital como poucos, com certeza traria um sopro de ar fresco para a massificada indústria de posters atual.

Em seu site é possível encontrar magníficos trabalhos criados por ele, inclusive uma série de belíssimos cartazes pensados para produções fictícias. O trabalho photoshopico é extremamente caprichado e nos faz lamentar por estes filmes ainda não existirem. Confira abaixo:

A Torre Eiffel foi construída em 1889 em homenagem ao centenário da Revolução Francesa. Sob a direção de Jean-Pierre Jeunet (“Amelie Poulain”, “Micmacs”) e com Vincent Cassel no papel de Gustave Eiffel (“Irreversível”), criador da gigantesca estrutura, esta história ganharia contornos fantásticos.

Liz Taylor, apesar de nascida na Inglaterra, era considerada um “patrimônio” dos EUA, tendo se tornado realmente um mito, como afirma o poster. Entre as beldades atuais, Wilde (“Cowboys & Aliens”) é a que mais se assemelha com a estrela de “Cleopatra” (1963) e “Quem Matou Virginia Woolf?” (1967) no auge da fama.

Quem já assistiu ao seriado Nip/Tuck (2003-2010) sabe o quanto o jovem ator John Hensley se parece com Michael Jackson (em sua versão white). Neste filme produzido para a TV, ele teria a oportunidade de mostrar o seu talento, interpretando o idolo pop num das fases mais nefastas de sua carreira.

O astro de “Drive” começou sua carreira no Clube do Mickey, então, escolhê-lo para viver o visionário Walt Disney nesta biografia dirigida por Ron Howard (“Uma Mente Brilhante”) seria mais do que justo. Talvez Ryan Gosling finalmente conseguisse sua indicação ao Oscar…

Juntar três idolos dos filmes de ação não deu muito certo em “Os Especialistas”, mas, como diria Raul Seixas, “tente outra vez”. Numa produção de Jerry Bruckheimer, talvez Daniel Craig (“007 Cassino Royale”), Jason Statham (“Carga Explosiva”) e The Rock (“Velozes e Furiosos 5”) tivessem melhor sorte.

A vida e obra de George Romero, considerado o pai dos zumbis, certamente renderia uma obra tão interessante quanto o clássico “A Noite dos Mortos Vivos” (1968). A escolha de Freddy Krueger, ou melhor Robert Englund, para viver o cineasta é tão boa quanto a escalação de Tom Savini para dirigir a biografia.

  • Mto bom Getro,o Pascal Witaszek já entregou um desses cartazes para algum estúdio e pelo menos ouviu deles um "vamos pensar" ?

    • Que eu saiba, não. Eles não sabem o que estão deperdiçando!

  • Eduardo

    Fantástico. Um filme sobre sobre o Valdisnei produzido pelo próprio rebento seria mais um momento ímpar na história do Cinema.

  • Danielle

    Nossa a ideia dos quatro primeiros filmes dariam histórias fanantasticas !

  • andre_f_f

    As ideias para os filmes – embora em 80% dos casos sejam biografias e, assim, óbvias – encantam quase tanto quanto os cartazes, perfeitamente adequados a cada uma delas.

    Mas o cartaz para "Walt" é um achado.

  • Ciro de Castro

    um palavra : SENSACIONAL