Game of Thrones | A ciência por trás da série

Série mais assistida da história da HBO, com uma audiência média de 18 milhões de espectadores, a tão aguardada 6ª temporada de Game of Thrones estreia no Brasil neste domingo (24), às 22h, com sinal aberto para todos os assinantes NET, Sky, Oi TV, Claro TV e GVT/Vivo TV.

A popularidade de GoT é tanta que ela vem servindo de inspiração para tatuagens e tema de casamento, além de render uma série de produtos que vão desde réplicas de armas a pesos de papel de ovos de dragão. Isso em falar dos inúmeros jogos de tabuleiro, puzzle, RPG e caça-níquel baseados nas crônicas.

Qual seria o segredo por trás de tanta obsessão? Além do orçamento polpudo, de cerca de US$ 10 milhões por episódio – o que a torna a série mais cara da TV norte-americana atualmente – muito do sucesso de GoT é devido ao detalhado mundo criado por George R. R. Martin e trazido as telas de forma vívida e, às vezes, visceral.

Baseada nos livros As Crônicas de Gelo e Fogo, é inegável que a série se passa em um mundo cheio de criaturas míticas, cenários exóticos e fantasia. Mas se engana quem pensa que tudo saiu da imaginação de seus criadores. A ideia por trás da obra, e justamente o que dá tanta força ao enredo, foi criar algo que fosse plausível em um mundo medieval paralelo.

Para tanto, muito do que se vê em GoT foi emprestado da história, da geografia, da química e da medicina. Mas o que pode ser explicado cientificamente (ao menos em partes) e o que é pura fantasia? Conheça a ciência e as principais pesquisas por trás da série mais comentada da TV no momento:

1. É possível que o inverno dure tanto tempo?

“O inverno está chegando” talvez seja a frase mais famosa da série. Porém, como explicar um inverno tão longo que pode durar décadas a fio? Algumas teorias científicas tais como o planeta oscilar em seu eixo ou ter uma órbita excêntrica poderiam ajudar a entender o fenômeno. Já para o professor de Física do Espaço Jim Selvagem, da Universidade de Lancaster, os longos invernos de Westeros estariam ligados a uma menor atividade solar, como na “Mini Idade do Gelo” que durou 70 anos e assolou a Europa Ocidental entre os séculos 17 e 18.

2. Seria viável construir a muralha de gelo?

Com 482 quilômetros de extensão, 213 metros de altura e 91 metros de espessura, uma muralha dessas dimensões feita de gelo maciço não seria possível no mundo real, já que ela entraria em colapso sob seu próprio peso. A única maneira de evitar isso seria aumentando a sua base, deixando-a com um formato mais de rampa. Mas aí ela não seria eficiente ao conter o avanço dos caminhantes brancos e os Sete Reinos já teriam sido invadidos logo na primeira temporada.

3. Por que Hodor fala apenas uma palavra?

Hodor! Hodor! Hodor! Quem acompanha GoT com certeza conhece Hodor, o fiel e gentil grandalhão que trabalhava nos estábulos da Casa Stark, em Winterfell. Sua característica mais marcante, claro, é que ele só fala uma única palavra: “Hodor”. Neste caso é a medicina que nos fornece uma pista para a sua condição.

Intencionalmente ou não, George R. R. Martin criou um personagem que é exemplo clássico de alguém com afasia expressiva. O transtorno neurológico foi descrito a primeira vez no século 19, quando o médico francês Paul Broca tratou de um homem chamado Louis-Victor Leborgne. Após perder progressivamente a capacidade da fala, ele conseguia pronunciar apenas uma palavra: “tan”.

4. Existe um personagem principal?

Há muito tempo os fãs de GoT discutem sobre quem é o verdadeiro herói da história, até porque cada vez que um personagem parece estar assumindo a posição ele acaba sendo brutalmente morto. Contudo, um time de matemáticos do Macalester College afirma ter a resposta. Eles usaram um campo de pesquisa chamado ciência de redes para analisar a interligação entre todos os personagens e calcular quem é mais importante para o enredo. E quem seria ele? Tyrion Lannister, de acordo com os pesquisadores. Veja o infográfico aqui.

5. O que poderia ser o fogo vivo?

Pode a ciência explicar o misterioso fogo vivo de Game of Thrones? Parcialmente. O professor de Química Teórica da Universidade de Manchester, Richard Henchman, lembra que ele é semelhante ao fogo grego, uma arma bizantina capaz de queimar na água, cuja fórmula é uma versão primitiva de napalm – e longe de ser tão poderosa quanto a versão da série. Já do ponto de vista de composição química, a coloração verde do Fogo Valeriano, como também é conhecido, sugere um composto feito à base de cobre para o especialista.

6. O quão ricos são os Lannisters?

Se um Lannister sempre paga as suas dívidas é de se imaginar que eles devem ter um baita cacife. Para tentar estimar a fortuna dos Lannister, o professor de História Medieval na Universidade de Manchester Charles Insley traçou um paralelo com a família nobre inglesa dos Neville, cuja riqueza era maior que a da Coroa no século 15. Em valores de hoje isso seria em torno de US$ 2 bilhões.

Para se ter uma ideia, Bill Gates é dono de uma fortuna de US$ 75 bilhões, o que faz dele o homem mais rico do mundo atualmente. O brasileiro mais bem colocado no ranking da Forbes é Jorge Paulo Lemann, na 19º posição, com um patrimônio pessoal de US$ 27,8 bilhões. A riqueza dos Lannister não parece tão impressionante agora, não é mesmo?

7. Como é a geografia do planeta de GoT?

George R. R. Martin já afirmou que Westeros é aproximadamente do tamanho da América do Sul, o que faria sentido para um continente com climas que vão desde o polar ao norte da muralha até as temperaturas amenas dos jardins de Dorne no sul. Usando medições dadas na série, a largura de Westeros é calculado em cerca de 3.000 milhas e sua população é de 20-40 milhões.

Pesquisadores da Universidade de Stanford, na Inglaterra, foram ainda além. Eles reconstruíram 500 milhões de anos da história geológica do planeta onde se passa GoT. O continente de Westeros estaria localizado no hemisfério norte, estendendo-se por uma área de 30° a 66,5° de latitude, provavelmente perto do círculo ártico em nosso mundo. Já Khaleesi é claramente no hemisfério Sul, em Essos, numa área de deserto semelhante ao deserto do Saara. Confira aqui o mapa.

E para ir entrando no clima (de inverno), assista ao trailer da 6ª temporada: