Leonardy Nimoy, o Dr. Spock, morre aos 83 anos


Trekkers do mundo inteiro estão de luto. Leonard Nimoy, o Dr. Spock da franquia original Star Trek, faleceu na manhã desta sexta-feira, 27 de fevereiro, em sua casa em Bel Air, bairro de Los Angeles. O ator, que estava com 83 anos, sofria de uma doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), e não resistiu a mais uma crise de dores fortes no peito. De acordo com o site TMZ, o ator precisou ir ao hospital várias vezes nos últimos meses devido a complicações decorrentes da doença.

Leonard Nimoy Simon nasceu em Boston (EUA), em 26 de março de 1931. Seus pais eram imigrantes judeus da Ucrânia. Ele desenvolveu interesse em atuar em uma idade precoce, estreando nos palcos com apenas oito anos em uma produção de João e Maria. Nimoy fez aulas de teatro no Boston College, e, depois de mudar-se para Los Angeles no intuito de seguir carreira em Hollywood, conseguiu seu primeiro papel de destaque em Kid Monk Baroni, de 1952.

Depois de servir no Exército de 1953 a 1955, ele fez pequenos papéis em alguns filmes, mas principalmente em séries de TV, aparecendo em episódios de Dragnet, Aventura Submarina, Bonanza, Perry Mason, O Homem da U.N.C.L.E., Além da Imaginação, Os Intocáveis, Agente 86, entre outros, antes de alcançar o sucesso em 1966, a partir da estreia de Jornada nas Estrelas (como Star Trek era chamada na época). A série de ficção científica, considerada intelectual demais para seu tempo, manteve-se no ar com o elenco original até 1969.

Ele retornaria à pele do vulcano com a franquia cinematográfica, que teve seu primeiro filme lançado em 1979, após o estrondoso sucesso de Guerra nas Estrelas nas bilheterias. Ao todo, foram produzidos seis longas-metragens com a tripulação da série clássica, sendo dois deles dirigidos por Nimoy (Star Trek III: A Procura de Spock e Stark Trek IV: A Volta para Casa), além de ter contribuído para os roteiros. Ele também interpretou o personagem mais duas vezes, quando a franquia voltou à TV.

Em sua carreira atrás das câmeras, destaque para a comédia Três Solteirões e um Bebê (1987), uma investida bem diferente de seu trabalho na ficção científica, e apareceu em filmes feitos para a televisão. Recebeu uma indicação ao Emmy pela minissérie A Woman Called Golda (1982), em que viveu o marido de Golda Meir, a primeira-ministra de Israel, encarnada por Ingrid Bergman. Foi a sua quarta indicação ao Emmy — as outras três foram pelo seu trabalho em Star Trek —, mas ele nunca chegou a vencer o prêmio, considerado o Oscar da televisão.

Mais recentemente, ele retornou à TV na série Fringe como o professor William Bell, e fez a voz de Spock em um episódio de 2012 de Big Bang Theory. O seu último trabalho para o cinema foi mais uma vez interpretando o vulcano em Além da Escuridão: Star Trek (2013), segundo longa da franquia desde a retomada de Star Trek (2009), sob direção de J.J. Abrams.

Apesar da fama que Spock lhe deu, Nimoy temia ter ficado marcado com o personagem, o que o levou a tentar se afastar dele na década de 1970. Foi com este objetivo que publicou sua primeira autobiografia, I Am Not Spock, em 1975, no qual travava diálogos com Spock, na tentativa de lidar com sua crise de identidade, com o vulcano representando a razão e o ator a emoção. Mais tarde, já tendo feito as pazes com o personagem, ele publicou sua segunda autobiografia, I Am Spock, em 1995, na qual revelava que, como duas almas gêmeas, eles finalmente tinham se unido.

Leonard Nimoy foi casado duas vezes, com a atriz Sandra Zober (1954-1987), com quem teve um casal de filhos, e com Susan Bay, desde 1988. Ele deixa dois filhos, Adam e Julie Nimoy; um enteado, Aaron Bay Schuck; seis netos; um bisneto; e um irmão mais velho, Melvin.