Posters hilários para absurdos prólogos de filmes


Diante da enorme quantidade de refilmagens, reboots e continuações que fazem questão de contar a origem dos seus protagonistas, o site de humor Cracked publicou uma divertida galeria de posters com as piores ideias possíveis para este tipo de filme (prequels). Os cartazes são pura anarquia, confira:

The Bourn Infancy

Assim como Quando Debi conheceu Loide e Hannibal – A Origem do Mal, uma sequência contando a origem de Jason Bourne (Matt Damon) seria um enorme sucesso. Só que não. Certamente a MPAA, órgão que regula a censura nos EUA, pegaria pesado ao ver um bebê empunhando armas pesadas em A Infância Bourne.

Making Nemo

O cartaz fala por si só, e talvez um documentário do Animal Planet sobre a reprodução dos peixes-palhaço rendesse algo mais interessante do que este Fazendo Nemo.

Cambrian Park

No Período Cambriano, a vida ainda estava se formando na Terra. Com certeza, Cambrian Park – O Parque dos Anelídeos seria um enorme fracasso, visto que os animais nesta Era Paleozoica eram apenas pequenos moluscos, lesmas, minhocas e outros seres impronunciáveis.

Cast Away: Origins

A trajetória da bola Wilson, desde sua fabricação na Wilson Sporting Goods até ela se tornar melhor amigo de Tom Hanks numa ilha deserta é a história deste Náufrago: A Origem. O melhor comercial para empresa ever!

Just Clean It Will Hunting

Will (Matt Demon) era um mero zelador do MIT – famoso centro universitário dos EUA – até o psicólogo vivido por Robin Williams perceber seu potencial. Em Will Hunting: Faxineiro Indomável, prólogo de Gênio Indomável, acompanharíamos o dia-a-dia do personagem de Damon antes desta descoberta, entre uma limpeza e outra.

The Story Before The Story of Button

Visto que sua presença seria completamente desnecessária nesta obra sci-fi ambientada num ventre materno, Brad Pitt poderia narrar o dia-a-dia do feto neste A História Antes da História de Benjamin Button.

Watch Up My Ass

Numa das histórias bizarras narradas em Pulp Fiction, o personagem de Bruce Willis quando criança, recebe de um oficial do exército (Christopher Walken), ex-prisioneiro de guerra, um relógio que pertenceu ao seu pai, morto num campo de concentração. O sujeito conta que, para não ter o objeto confiscado pelos inimigos, o relógio era guardado no ânus, e passado de um colega para outro, no intuito de não levantar suspeitas. Watch Up My Ass – Hora de Defecar encenaria este período, e certamente ganharia muitos Oscars se algum dia fosse produzido.