10 Filmes para amar o horror francês [Volume II]


Horror Frances

O teor violento da safra New French Extremity não é o único traço marcante do cinema francês. Além de ser o país responsável pelo (considerado) primeiro filme de terror já feito, Le Manoir du Diable, os franceses ajudaram a estabelecer o gênero com um amplo leque de temas e técnicas, se destacando com fitas clássicas e muito suspense. Prepare-se para entrar no mundo do terror psicológico e noir francês nesta segunda e assustadora lista:

10. Eles (Ils, 2006): Baseado em uma história real onde uma família passa agruras nas mãos de misteriosos invasores, o filme transmite qual é a essência primitiva do medo em uma atmosfera extremamente tensa e claustrofóbica. Os Estranhos, com Liv Tyler, é uma espécie de versão americana não assumida desta fantástica produção francesa.




9. O Testamento do Dr. Cordelier (Le Testament du Docteur Cordelier, 1959): Fantástica releitura de Jean Renoir para o conto O Médico e O Monstro que traz questões relacionadas aos avanços científicos e a uma possibilidade de controle do cérebro humano e da consciência dos indivíduos. Foi feito originalmente para a TV e lançado nos cinemas dois anos depois.




8. In Their Sleep (Dans Ton Sommeil, 2010): Cativante história de uma mãe em luto pela morte de seu filho, com elementos de perseguição e paranoia. O uso de flashbacks para descascar camada por camada até surgir à verdade permite que os espectadores experimentem o choque da revelação que a protagonista sente.




7. Sombra do Pavor (Le Corbeau, 1943): Uma pacata cidade de interior é assombrada por cartas anônimas assinadas como “O Corvo”. Na França, a palavra Corbeau (Corvo) ganhou o significado de designar um remetente de cartas anônimas graças ao filme. Se você é fã de Hitchcock, vai perceber aqui vários elementos presentes na filmografia do cineasta.




6. A Bela Prisioneira (La Belle Captive (1983): Película ambígua e instável, contando as preocupações sexuais e psicológicas dos personagens em uma narrativa fragmentada. Deslumbrante aos olhos como uma pintura surrealista, é um filme onde as imagens são tão ou mais importantes que o diálogo. Quem gostou de De Olhos Bem Fechados, de Kubrick, vai adorar este.




5. Harry Chegou Para Ajudar (Harry, Un Ami Qui Vous Veut du Bien, 2000): O diretor Dominik Moll fez com eficácia um filme que segue a linha de suspense clássico de Hitchcock com princípios de um thriller psicológico que lembra David Lynch. A tensão é desenvolvida aos poucos, mas notamos algo de estranho sobre Harry desde o primeiro momento. Foi indicado a nove Césares, o Oscar francês, tendo vencido quatro deles, incluindo ator e diretor.




4. A Mão do Diabo (La Main du Diable, 1943): O filme gira em torno de um talismã adquirido por um artista, capaz de trazer sorte, fama, dinheiro e amor, mas, com o tempo, o diabo se apresenta para cobrar seus direitos. Quantos filmes apresentam um personagem que vende sua alma ao capeta? Pois este é um dos melhores.




3. O Inquilino (Le Locataire, 1976): Thriller de primeira classe, intensamente claustrofóbico e brilhante. Junto com Repulsa ao Sexo e O Bebê de Rosemary, é o último filme da “Trilogia do Apartamento” de Roman Polanski, que tem como tema a paranoia e o confinamento. A trama se passa num prédio residencial onde uma jovem desconfia que os moradores do lugar sejam os responsáveis pela morte da inquilina que ocupava antes o seu imóvel.




2. Os Olhos Sem Rosto (Les Yeux Sans Visage, 1960): A obra-prima de Georges Franju é um dos filmes mais importantes e esquecidos do cinema. Na trama, um célebre cirurgião cuja filha teve o rosto desfigurado em um terrível acidente, passa a sequestrar e mutilar garotas para fazer experimentos de enxerto de pele. Um conto de sadismo, vaidade, culpa e redenção, que impressiona pela beleza e complexidade.




1. As Diabólicas (Les Diaboliques, 1955): Esposa e amante se unem para assassinar o marido, um sujeito desprezível que vive humilhando as duas. Após drogá-lo, elas o jogam na piscina imunda do colégio onde ele trabalhava. Mas o corpo desaparece, um detetive entra na jogada e um clima de desconfiança é instaurado. Este é um dos melhores enredos que você vai encontrar em filmes de mistério e suspense de todos os tempos e nacionalidades. Só não confunda com o remake vergonhoso da década de 1990, estrelado por Sharon Stone.



  • Linda

    Uau! O cinema francês anda surpreendendo mesmo, alguns ai eu já assisti, outros irei assistir quando puder, sem dúvida grandes obras.