Crítica: Vendo ou Alugo


Para falar sobre a classe média e as malandragens de uma família deveras peculiar, a diretora Betse de Paula (Celeste & Estrela) reuniu em Vendo ou Alugo um elenco conhecido do grande público – tornando o filme mais popular possível – jogou todos eles dentro de uma casa velha e tentou contar uma história sobre situações que giram em torno de uma transação imobiliária, a falta de dinheiro e os vícios que todo consumidor descontrolado corre o risco de sofrer. Uma história extremamente atual com a qual muita gente certamente se identificará. Pena que nada encaixou com nada.

Grande vencedor do último Festival de Cinema de Pernambuco – levou 12 prêmios –, o longa acompanha as dificuldades vividas por Maria Eudóxia (Natalia Timberg), Maria Alice (Marieta Severa), Baby (Silvia Buarque) e Madu (Beatriz Morgana, filha da diretora), quatro gerações de mulheres de uma tradicional família carioca que se encontram em grandes dificuldades financeiras. A solução encontrada é vender a gigantesca mansão onde vivem, localizada ao pé do morro Chapéu Mangueira, onde uma perigosa favela está sendo ocupada pela polícia para ser pacificada.

Quem vai se arriscar adquirir um terreno numa área destas? A fita parte deste princípio para fazer humor “sociológico”, que preza pelo desespero financeiro e o descontrole emocional. Um gringo excêntrico, veteranas jogadoras de poker e um pastor bem suspeito aparecem como possíveis compradores. O palco está armado para muitas trapalhadas, engendradas em cima de piadas politicamente incorretas, gags visuais e diálogos com falas soltas e debochadas.

A coragem de sair da mesmice das comédias nacionais é um mérito que Vendo ou Alugo merece receber. Mas isso não quer dizer que o longa-metragem seja nem ao menos bom. O foco nas quatro protagonistas e seus diferentes pontos de vista é muito mal definido no roteiro, o que prejudica a interação com o espectador. Salvam-se a direção competente de Betse – a melhor coisa do filme – e e os atores experientes que entregam performances carismáticas. Pena que a maioria das piadas não funciona, o que torna estes pontos positivos muito pouco para agradar o público.

(2.5/5)
Vendo ou Alugo
Brasil, 2013 – 88 min.
Direção: Betse De Paula.
Roteiro: Maria Lucia Dahl, Júlia de Abreu, Adriana Falcão, José Toreiro e Betse De Paula.
Elenco: Marieta Severo, Marcos Palmeira, Nathália Timberg, Silvia Buarque, André Mattos.