Crítica: Truque de Mestre


Quem não gosta de um bom show de magia? Criss Angel, David Blaine, Harry Houdini, Mister M. são alguns dos mais famosos nomes que acompanham o imaginário de muitas pessoas ao redor do mundo com suas habilidades de ilusionismo. Se aproveitando da necessidade humana pela curiosidade e o sobrenatural, os roteiristas Boaz Yakin e Edward Ricourt criaram uma trama inteligente que prende à atenção do espectador do princípio ao fim: Truque de Mestre é um filme dinâmico, com diálogos interessantes, boas cenas de ação e momentos emocionantes, o que deve agradar a maior parte do público, mesmo aqueles não-fãs de mágica.

A história é uma mistura de Onze Homens e um Segredo com O Grande Truque e pitadas de A Origem, onde quatro “artistas” se unem para um grande golpe envolvendo bancos, chantagens e muito dinheiro. O filme começa com um recrutamento, onde Daniel (Jesse Eisenberg), um ás das cartas, Merrit (Woody Harrelson), um mentalista, Henley (Isla Fisher), uma talentosa escapista, e Jack (Dave Franco), um batedor de carteiras, recebem diagramas e especificações para uma série de inovadores truques de mágica vindos de um misterioso sujeito. Passado um ano, o quarteto se une para aplicar um grande golpe e roubar milhões, patrocinado por Arthur Tressler (Michael Caine), magnata do ramo dos seguros. Em seu encalço, os agentes Rhodes (Mark Ruffalo) e Dray (Melanie Laurent), além do ex-mágico Thaddeus (Morgan Freeman), um especialista em revelar os truques de outros ilusionistas.

Além do roteiro, o outro grande trunfo do longa são os personagens muito bem definidos. Cada um tem seu objetivo apresentado desde o início, clareando o entendimento ao espectador. Óbvio que algumas surpresas são guardadas, mas nada que prejudique a narrativa ou deixe o espectador confuso. É o tipo de filme que, quanto menos souber da trama, melhor. Fique atento aos detalhes e não exija muito da verossimilhança. Para quem costuma implicar com alguns exageros e peças mal encaixadas, fica a dica: uma pitada de licença poética é saudável em qualquer história passada na telona.

Se o elenco e o script sobressaem, surpreendente também é a direção do cineasta francês Louis Leterrier, de trabalhos terríveis como Fúria De Titãs, Carga Explosiva 2 e O Incrível Hulk. “Operário padrão”, aqui o sujeito consegue envolver o público, colocando-o para tentar adivinhar quem quer enganar quem e o que é truque e o que é distração. É um trabalho tão bem realizado que até mesmo o grande David Copperfield aplaudiria de pé!

(4/5)
Truque de Mestre (Now You See Me)
Estados Unidos, 2013 – 115 min.
Direção: Louis Leterrier. | Roteiro: Boaz Yakin e Edward Ricourt.
Elenco: Jesse Eisenberg, Mark Ruffalo, Woody Harrelson, Isla Fisher, Dave Franco.