Crítica: O Concurso


Quem nunca teve o sonho de passar em um concurso público? Utilizando o desejo de milhares de brasileiros como inspiração, o roteirista e produtor LG Tubaldini Jr. criou O Concurso, uma comédia ao melhor estilo Os Trapalhões sobre quatro jovens correndo atrás desse objetivo tão complicado. Para comandar o longa, convidou o inexperiente diretor Pedro Vasconcelos e um elenco de jovens pouco conhecidos do público de cinema. O resultado? Uma historinha mal executada cheia de clichês e piadinhas sem graça, uma verdadeira confusão cinematograficamente falando.

Nessa versão brasileira de Se Beber, Não Case!, somos apresentados a quatro geniais candidatos, cada um de uma parte do Brasil: o paulista Bernardo (Rodrigo Pandolfo), o carioca Caio (Danton Mello), o gaúcho Rogério Carlos (Fábio Porchat) e o cearense Freitas (Anderson Di Rizzi). Eles se classificaram para a fase final do concurso para Juiz Federal, cujo exame será no Rio de Janeiro, numa segunda-feira. Para o credenciamento, todos precisam se apresentar na manhã de sábado. Com dois dias sem ter o que fazer até o início da prova, resolvem aproveitar o fim de semana e acabam se metendo em muitas confusões.

As situações inverossímeis propostas pelo roteiro – como o sequestro bizarro de um dos protagonistas por um grupo de travestis -, destroem completamente a ideia (interessante) de fazer uma comédia sobre o universo dos concurseiros, pessoas dedicadas ao estudo ad infinitum que sonham melhorar de vida. O roteiro é linear mas tem falhas gritantes na sua execução, diálogos forçados, sequências mal dirigidas, muitos erros de continuidade e uma Sabrina Sato bancando a tarada mais perdida do que cego em tiroteio. Não bastasse, as piadas são óbvias e as situações cômicas apelam para os estereótipos.

O elenco principal até se esforça, mas não rende, prejudicados pelo texto sem inspiração. Fabio Porchat (Vai que Dá Certo), a grande esperança de tirar risos da plateia, é praticamente um Titanic (começa bem e naufraga), cenicamente falando. Algumas risadas são provocadas graças ao seu dom de improviso, exageros em formato Stand Up Comedy. Porém, muito pouco do que se espera de um ator do seu kilate. Desperdiçados também são os coadjuvantes, nomes de peso como Pedro Paulo Rangel, Jackson Antunes, Carol Castro, Nelson Freitas e Emiliano Queiroz.

Durante o filme somos sentenciados a escutar a frase: “Perante a lei, todos são iguais”. Assim, ao término do longa (que graças a Deus dura apenas 90 minutos), o espectador tem vontade de pegar um megafone e gritar: “Perante o cinema, as comédias nacionais ainda tem muito o que evoluir!”. O Concurso é frustante, assim como o resultado daquela prova que você achava que ia passar.

(1.5/5)
O Concurso
Brasil, 2013 – 87 min.
Direção: Pedro Vasconcelos. | Roteiro: Leo Levis, LG Tubaldini Jr. e Pedro Vasconcelos.
Elenco: Rodrigo Pandolfo, Danton Mello, Anderson Di Rizzi, Fabio Porchat, Sabrina Sato.

  • Diegorji

    Esse filme é muito aquém das minhas expectativas. Não percam seu tempo indo aos cinemas, uma porcaria !!!