Os vencedores do Festival de Cannes 2013


Cartaz oficial Festival de CannesO francês A Vida de Adèle (La Vie d’Adèle – Chapitres 1 et 2), do franco-tunisiano Abdellatif Kechiche, foi o vencedor da Palma de Ouro do 66º Festival de Cannes, que teve início em 15 de maio e se encerrou neste domingo (26). O drama narra o o despertar sexual de duas garotas, que se apaixonam uma pela outra.

Adaptação da história em quadrinhos “Le Bleu est une Couleur Chaude”, de Julie Maroh, o filme já havia vencido o prêmio da crítica e provocou polêmica na Riviera Francesa por conter fortes cenas de sexo explícito. Na trama, Adèle (Adèle Exarchopoulos), uma estudante de 15 anos, se envolve com homens até conhecer Emma (Léa Seydoux), uma jovem de cabelos azuis, estudante de Belas Artes. Com ela, Adèle vai descobrir o desejo e a paixão, aprende a se conhecer e a se tornar mulher.

O Grand Prix, espécie de segundo lugar do Festival de Cannes, foi para Inside Llewin Davis, dos irmãos Ethan e Joel Coen (Onde Os Fracos Não Tem Vez), um filme nostálgico e engraçado sobre o cenário folk de Greenwich Village nos anos 1960 (de onde saíram Bob Dylan, Phil Ochs, entre outros). Já o mexicano Amat Escalante recebeu o prêmio de melhor diretor pelo trabalho em Heli. Sua obra mostra sem pudores os estragos causados pela corrupção e pelo narcotráfico em seu país.

Os prêmios para as melhores performances feminina e masculina ficaram com a franco-argentina Bérénice Bejo (O Artista) pelo papel de uma mãe destroçada buscando o divórcio de seu marido iraniano em Le Passé, de Asghar Farhadi (A Separação) e o americano Bruce Dern (Monster – Desejo Assassino), por sua atuação como um velho amargo em Nebraska, do diretor Alexander Payne (Os Descendentes).

O júri desta edição de Cannes foi liderado por Steven Spielberg que contou também com estrelas do porte de Nicole Kidman, Daniel Auteuil e Christoph Waltz. Confira abaixo os vencedores:

Palma de Ouro
La Vie d’Adele, de Abdellatif Kechiche (França)

Grand Prix
Inside Llewyn Davis, de Joel e Ethan Coen (Estados Unidos)

Melhor Ator
Bruce Dern, por Nebraska (Estados Unidos)

Melhor Atriz
Bérénice Bejo, de Le Passé (França/Itália)

Prêmio do Júri
Like Father, Like Son, de Hirokazu Kore-Eda (Japão)

Melhor Diretor
Heli, de Amat Escalante (México)

Melhor Roteiro
Jia Zhangke, de A Touch of Sin (China)

Câmera d’Or
Ilo Ilo, de Anthony Chen (Cingapura)

Melhor Curta-Metragem
Safe, de Moon Byoung-Gon (Coreia do Sul)