10 títulos equivocados de filmes


Raramente os filmes estrangeiros recebem traduções literais no Brasil. A adaptação dos títulos é realmente necessária, visto que cada país tem sua própria cultura e ponto de vista. Se as traduções fossem literais, certamente ninguém sairia de casa para assistir um longa chamado “Mandíbulas” ou “Serra”, por exemplo – Tubarão e Jogos Mortais respectivamente.

Às vezes, entretanto, esta liberdade criativa ultrapassa as barreiras do bom senso e da lógica. Confira abaixo algumas bizarrices nonsenses perpetradas pelos mais insanos departamentos de marketing de distribuidoras nacionais:

Evil Dead (1981) chegou ao Brasil primeiro em VHS, com a tradução A Morte do Demônio (quando o correto seria “Morte Demoníaca”). Depois do sucesso de Evil Dead 2 (que se chamou Uma Noite Alucinante), a distribuidora Look Video resolveu colocar o original nos cinemas com o título Uma Noite Alucinante 1 e relançar o filme em home vídeo mantendo os títulos estrangeiro e nacional. Pura maluquice ou obra do tinhoso?

The Last Boyscout (1991), policial estrelado por Bruce Willis virou O Último Boyscout, uma tradução pela metade. Preguiça ou falta de informação? “Boyscout” quer dizer escoteiro. A tradução literal realmente não seria das melhores. A distribuidora poderia ter usado apenas o subtítulo O Jogo da Vingança ou fazer como nossos colegas lusitanos que batizaram o longa de O Último Samaritano. Na locadora onde aluguei a fita, o filme era chamado de “O Último Biscoito”!

Total Recall (1990), baseado num conto sci-fi do escritor Phillip K. Dick, nem fala de vingança. A distribuidora nacional num insight genial achou que batizar a película de O Vingador do Futuro seria uma boa alusão a O Exterminador do Futuro – onde Arnold Schwarzenegger desempenha seu papel mais icônico – e uma boa maneira de enganar atrair o público fã do brucutu.

Shane (1953), o western clássico de George Stevens, tinha apenas o nome do personagem principal, mas os desalmados tradutores acharam melhor chamá-lo de Os Brutos Também Amam no Brasil. Shane, um misterioso pistoleiro vivido por Alan Ladd, nem era assim tão bruto…

Calamity Jane (1953) foi outro clássico que sofreu nas mãos dos tradutores brazucas. O faroeste que tinha Doris Day como atriz principal, uma jovem masculinizada ligeira no gatilho, ganhou título de produção pornô (ou seria uma comédia baiana?): Ardida como Pimenta.

Parenthood (“Paternidade”) estrelada por Steve Martin em 1990, foi vítima de algum marketeiro sob influência de psicotrópicos, porque nada explica  O Tiro Que Não Saiu Pela Culatra. Depois das muitas reclamações que o título estapafúrdio recebeu quando a comédia foi lançada nos cinemas brasileiros, a distribuidora decidiu anexar o título original na versão em DVD.

Em De Volta Para o Futuro, o Doc Brown do passado (Christopher Lloyd) chama Marty McFly de Garoto do Futuro. A distribuidora nacional achou que seria interessante usar este apelido para traduzir Teen Wolf (1986), comédia também protagonizada por Michael J. Fox. Realmente, não existe algo mais futurista que um “lobisomem adolescente”!

Memento (2000) virar Amnésia não foi um “lampejo de criatividade”, mas uma gafe tremenda. Quem traduziu este título, com certeza, não assistiu ao filme, visto que o personagem de Guy Pearce repete inúmeras vezes para Deus e o mundo que não sofre de Amnésia, sua doença é diferente, uma enfermidade que causa a perda da memória de curta duração. Isto sem falar que a tradução significa algo como “Lembrança”.

Annie Hall (1977) é um dos pontos altos da carreira de Woody Allen. O tradutor tentou criar um chamariz para a comédia e batizou a fita de Noivo Neurótico, Noiva Nervosa. Para piorar, o filme não tem cena de noivado nem nos extras do DVD, lançado muitos anos depois.

Sem solução para traduzir Cliffhanger (1990) – algo como “estar dependurado feito um cabide num despenhadeiro” -, filme de escalada com Stallone, a distribuidora optou por Risco Total. De tão genérico, o título nacional pode levar o espectador a imaginar que se trata de uma história sobre usuários de drogas utilizando seringas contaminadas.

  • Edson Silva

    O "batismo" da ótima comédia Shaun of the Dead é o pior de todos os titulos aqui no Brasil!

  • Aline Von Krueger

    Descordo, acredito que adaptação de titulo seja algo desnecessario, considero uma afronta ao original e um insulto ao espectador, não precisa traduzir literalmente, mesmo porque tem certas coisas que não há como traduzir sem adaptar, basta manter cá o que se disse lá, é certo que cada país tem sua cultura e tal, mas ninguem é idiota (ou pelo menos, penso que não seja) o bastante para não entender uma ideia. Acredito que o melhor jeito de curtir um filme é como ele foi concebido, é claro que há coisas que precisam de uma adaptação, mas o titulo da obra com certeza não é uma delas. Acho que as pessoas sairiam sim, e pagariam para ver "Serra", "Mandibulas", "O Padrinho", "Um Pesadelo na rua Elm", etc. é para isso que serve a sinopse no jornal, a propaganda na tv, internet, revistas, boca a boca e por ai vai. O Felipe Neto fez uma boa analise sobre esse tema, concordo em tudo que ele disse e acrescento mais, o fato do filme trazer um pouco da cultura do país do qual é oriundo enriquece quem assiste, agora chamar Cancun de Guaruja é chamar o publico de idiota; não ignorando o fato que nem todo mundo sabe uma 2a. lingua e que tem gente que tem preguiça de aprender (frase de idiota retardado "votei negativo porque tá em ingles" – queria o que docinho? Se veio de um país de lingua inglesa ou é versão internacional é claro que vem em ingles, estar em ingles NUNCA é ponto negativo, a menos que o publico alvo fosse de um pais que não falasse ingles). A integridade da obra deve ser mantida o mais fiel possivel, quem ganha é o publico alvo.

    • Gabriel

      Concordo em número, gênero e grau.

    • JuNiiOr

      Concordo com tudo, me da arrepios quando vejo essas traducoes…
      Fico puto de raiva, muitas vezes acaba com a vontade de assistir o filme.

  • Sylvio Gonçalves

    Lista sensacional. Aqui vão mais alguns títulos que me ocorreram:

    – AS CRIATURAS ATRÁS DAS PAREDES . Bonito título, se as criaturas não estivessem em outro lugar. Título original: THE PEOPLE UNDER THE STAIRS.

    – ROOKIE – UM PROFISSIONAL DO PERIGO , cujo título original é apenas ROOKIE, que é quase um antônimo de profissional: "CALOURO".

    – OS REIS DO IÊ IÊ IÊ, para o primeiro filme dos Beatles, A HARD DAY'S NIGHT. A música dos Beatles foi chamada pejorativamente de iê iê iê por muito pouco tempo no Brasil. Hoje, o título não faz o menor sentido.

    – Nunca vou entender como A STREETCAR NAMED DESIRE, cuja peça original foi montada várias vezes aqui como "Um Bonde Chamado Desejo" virou nos cinemas brasileiros UMA RUA CHAMADA PECADO.

    – E o que dizer de títulos que fazem referência ao próprio universo do filme, mas que parecem ter sido escolhidos por alguém que não conhecia tal universo? Como TWILIGHT ZONE THE MOVIE, que, em vez de "Além da Imaginação O Filme" virou NO LIMITE DA REALIDADE no Brasil. STAR TREK VI THE FINAL FRONTIER, que abriu mão de usar a expressão marcante "A Fronteira Final" para virar JORNADA NAS ESTRELAS VI A ÚLTIMA FRONTEIRA ou LICENCE TO KILL, em que o agente 007, em vez de sua famosa "Licença Para Matar" tem uma PERMISSÃO para matar?

    • Sylvio Gonçalves

      Ah, corrigindo-me: JORNADA NAS ESTRELAS V.

  • A distribuidora conseguiu ver um "Reencontrando a Felicidade" no "Rabbit Hole", onde que tá a porra da felicidade naquele filme???

  • Gigi

    Concordo com vc em parte. Tem realmente muito nome bizarro, e nome que não faz jus ao conteúdo do filme. Tem título (traduzido) tão ruim que faz a gente não ter o mínimo interesse em assistir ao filme. Enquanto outros chegam a ser até melhores do que o título original. Um exemplo disso pra mim é o "sobre meninos e lobos", tirado do original Mystic River. Assisti ao filme e achei a escolha inteligentíssima. Agora, você tem que ter um pouco de cuidado com seus posts, é sempre bom dar uma revisada depois: a tradução correta de "The Evil Dead" não é "a morte demoníaca" como vc colocou aqui. Morte é death. Dead, neste caso é morto ou mortos (já que o plural de dead é dead mesmo). A tradução poderia ser mortos demoníacos. Lembrando tbm que evil não significa demoníaco ao pé d letra, mas imagino que nada mais ficaria bom aqui, considerando o conteúdo do filme. Existem sim muitos títulos bizarros, mas a gente não pode tentar fazer o trabalho de outra pessoa, dizendo como seria melhor. Ás vezes eles mesmos não acharam que o título que deram foi a melhor escolha, mas por motivos que não sabemos, tiveram que deixar assim mesmo. E na maioria das vezes, não vai ser a tradução literal.

  • Luiz Rodrigues

    Só pra constar. A palavra "saw", do filme Jogos mortais é uma forma curta de "jigsaw" Que significa "quebra-cabeças", em alusão aos "quebra-cabeças" que os participantes tem que desvendar para continuarem vivos.

    • GuillerZ

      Nesse caso acho o nome "jogos mortais" legal.
      Seria estranho ser "quebra-cabeças"

  • Bran

    Outro problema é a tradução dos dialogos, muitas palavras trocadas sem necessidade, que tiram a força das cenas, mas em converça com um dublador, me contou que esses absurdos não partem em absoluto deles, muitos já são pre-determinados pelas emissoras em que passarão os filmes, eles recebem uma lista como nos tempos da censura, com palavras que não podem ser ditas, acredite você, "bumbum" não pode ser dito 😀
    lamentável.

  • andre

    faltou o poderoso chefão nessa lista, mais poucos param para refletir sobre a idiotice que é esse titulo em um filme tão foda

  • Fabio

    Outro interessante de lembrar é o "Mulholland Dr.", que no Brasil recebeu o título de "Cidade dos Sonhos".

    Obviamente o título deveria ser adaptado, mas não revelando a ideia central do filme!

    Seria o mesmo que traduzir o "Sexto Sentido" como "O Garoto e o Fantasma"…

  • Roberto Moura

    Um que está em alta agora, já que vão lançar um filme novo e não tem casamento algum:
    Se beber não case

  • marcio

    e tem o "bad girls" que virou " 3 garotas e um destino " absurdo….

  • dane-se essas traduções idiotas, dane-se os estudios de dublagem de deturpam o conteúdo, dane-se quem não vê filme legendado. como cinéfilo, prefiro sempre fazer referências aos filmes em seu nome original.
    Vários filmes eu nem procuro saber qual é o nome adaptado.

  • charlene

    não importa o titulo dos filmes e sim a grandes produçao,vamos dar parabens aos comentarios de willam haddad são otimos,e algums engraçados,

  • Faltou O náufrago – Posso estar falando besteira, mas um filme com um acidente de avião não fala sobre naufragio … nem ao menos tem um navio !

  • ricardo

    Eu também nunca entendi por que TOTAL RECALL virou VINGADOR DO FUTURO.
    Ah, eu tenho alguns exemplos também, quem não lembra de "Quem vai ficar com mary?" com a Cameron Diaz, o original do filme é "There's Something About Mary " (Há algo sobre Maria).
    Ou, "O pagamento final", com Al Paccino, com o original do filme "Carlito's Way". E tem também o clássico dos absurdos que é "LOUCA OBSESSÃO", filme baseado em um ótimo livro do Stephen King, cujo livro e filme originais chamam-se "MISERY". Também o clássico "Gênio Indomável", filme que lançou o Matt Damon, cujo título original era "Good Will Hunting", que seria algo como "O bom Will Hunting".
    Mas um que eu tenho birra mesmo, é o tal do "CLOSER – PERTO DEMAIS", o original é "CLOSER", pra que a redundância, porra, Closer já quer dizer "Perto", pra que complementar com "perto demais".

  • Ana

    Ótima lista! O primeiro filme que me veio a mente quando li o título do post foi O garoto do futuro. Vejo que não sou a única a achar escroto que tenham o traduzido desta forma… rs E amei o "O último biscoito" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ai ai

  • CrisSpiegel

    Acho que não existe título nacional pior do que o para “Formula 51” ou “The 51st State”. O filme já tem dois nomes, provavelmente dependendo da região em que fora distribuído. Aqui no Brasil, no entanto, foi distribuído como “Baladas, Rachas e um Louco de Kilt”. Basicamente pegaram o cara do perfil Sinospses do Twitter e o contrataram para fazer o título brasileiro.

  • CrisSpiegel

    Hoje, assistirei “Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb” pra finalmente tentar entender como esse filme passou a se chamar aqui “Dr. Fantástico”.