Crítica: Redenção


Redencao

Após um começo pouco atraente (que aos poucos vai melhorando), o novo trabalho do diretor Marc Forster (O Caçador de Pipas) tenta responder a seguinte pergunta: A fé pode modificar um caminho? Com direito a reviravoltas, furacões e muitos pecados, Redenção engloba o poder da fé na construção de uma vida melhor através das mãos de um homem, a um povo que precisa. A maneira como se chega a essa “melhoria” é o grande ponto de análise do filme estrelado pelo ator Gerard Butler (Código de Conduta).

Na trama, baseada em caso verídico, Sam (Butler), um ex-detento e ex-viciado em drogas (casado com uma ex-dançarina) tenta descobrir sua fé partindo para o norte de Uganda ajudar os milhares de necessitados dessa terra. Por lá, testemunha de perto os horrores que a guerra civil provoca no país africano e decide tornar-se um guerilheiro para defender o orfanato que ajudou construir. Ao retornar aos EUA, tem uma espécie de epifania e decide criar uma igreja.

Em meio a muitos aleluias, o pastor motoqueiro vai atrás de financiamento para sua obras. Vende moto, carro, pede dinheiro para ricos empresários da região onde sua família mora mas pouca gente está afim de embarcar nos sonhos de construção de Sam – durante os créditos finais pode-se conferir depoimentos interessantes do verdadeiro Sam Childers. O profeta guerreiro é intenso e Butler tem seus méritos na boa construção do personagem.

Além do ator escocês, nomes conhecidos do grande público defendem muito bem suas pequenas participações. Michael Shannon (da série Boardwalk Empire) é Donnie, amigo de Sam, ajudado por ele a descobrir um pouco de sentido em sua vida cheia de problemas. Michelle Monaghan (Contra o Tempo) faz a mulher do protagonista, a ex-dançarina exótica que descobriu sua fé, largou o emprego e tenta a todo custo converter o marido.

Não é um ótimo filme e nem de longe um dos melhores do ano. Redenção tem momentos de muita redundância, demora para engatar perdendo tempo na conversão do “anti-herói”, carrega no melodrama e deixa um final em aberto que pode incomodar parte do público. Mesmo assim, vale a pena conferir a saga do Sr. Childers, um sujeito que abriu mão da própria família em prol de crianças carentes.

(3/5)
Redenção (Machine Gun Preacher)
Estados Unidos, 2011 – 129 min.
Direção: Marc Foster. | Roteiro: Jason Keller.
Elenco: Gerard Butler, Michelle Monaghan, Kathy Baker, Michael Shannon, Madeline Carroll.

  • Jonas

    Bem, olhei o filme ontem e concordo. É um bom filme de drama, mas redundante em muitas horas. O drama da África é muito mais real e tocável do que o apresentado nos EUA. Mesmo assim gostei mt do filme… e a atuação das crianças africanas no filme é sublime.