Crítica: Happy Feet 2 – O Pinguim


Happy Feet 2 - O Pinguim É bonito ver quando um cineasta aprende com seus erros e procura melhorar. Bastam apenas alguns minutos de Happy Feet 2 – O Pinguim, sequência da animação vencedora do Oscar de 2007, para perceber a evolução do diretor George Miller, buscando corrigir todos os seus equívocos do filme anterior, entregando uma aventura melhorada, divertida e emocionante.

Iniciando a projeção com um engraçado curta-metragem estrelado por Piu Piu e Frajola – convenientemente realizado em forma de musical – a trama retoma algum tempo após os eventos mostrados no primeiro longa. Agora dançar é algo comum nas regiões gélidas. É, inclusive, incentivado. O que faz com que aqueles que não dançam sejam os recriminados da vez. E ninguém melhor pra ser o excluído da turma do que Erik, filhote de Mumble, o pinguim dançarino.

Substituindo as temáticas “polêmicas” – preconceito e religião – pelo aquecimento global, as paisagens gélidas anteriores dão lugar a grama e água nos pés dos personagens. E o derretimento das calotas polares faz com que um enorme iceberg se choque contra a terra dos pinguins imperadores, o que aprisiona todos os milhares de moradores da região. Cabe então ao herói e seu filho resolverem suas diferenças e conseguir ajuda para libertar seus entes queridos.

Ao contrário do original, que trazia uma narrativa arrastada e sobrepunha as músicas no lugar da história, Happy Feet 2 encontra seu tom corrigindo os erros ao substituir os longos e aleatórios números musicais por sequências que usam a música e as coreografias em favor da história. Além disso, os personagens secundários, antes exagerados, são enxugados, e dão lugar a outros (ótimos) coadjuvantes, como o pinguim voador e os dois camarões aventureiros.

Inclusive, a conclusão do arco narrativo dos camarões é a maior prova do talento dos roteiristas e da confiança que eles têm no público, já que esse final quebra completamente qualquer expectativa previamente gerada. Além do mais, o diretor investiu em desenvolver características físicas distintas para seus personagens, o que ajuda o público distingui-los melhor.

Em um ano em que até mesmo a “infalível” Pixar cometeu seu primeiro equívoco com o fraco Carros 2 e grandes apostas entregaram resultados medianos (como Rio), assistir Happy Feet 2 – O Pinguim pode ser um programa agradável até mesmo para aqueles que não se “encantaram” o suficiente com o original.

(3.5/5)
Happy Feet 2 – O Pinguim (Happy Feet Two)
Australia, 2011 – 103 min.
Direção: George Miller. | Roteiro: Warren Coleman, Gary Eck, Paul Livingston e George Miller.
Com as vozes de: Elijah Wood, Robin Williams, Hank Azaria, Sofia Vergara, Hugo Weaving, Brad Pitt.