Crítica: A Pele Que Habito

A Pele Que Habito

A Pele Que Habito é o primeiro thriller da carreira de Pedro Almodóvar. Independente do gênero, esse notável trabalho demonstra mais uma vez que o objeto de obsessão do diretor espanhol é mesmo o cinema. Sua produção, inspirada no livro Tarântula (do autor francês Thierry Jonquet), é mais uma prova de admiração à sétima arte.

Na trama, um renomado médico cirurgião adota, única e exclusivamente, a vingança como forma de vida após a morte de sua filha. Seu objetivo, é vingar-se do estuprador da mesma. A maneira que as peças se encaixam, até a sua conclusão, transformam o filme numa obra assustadoramente brilhante.

O roteiro é dinâmico, com aquele famoso vai-e-vem na linha temporal (recurso frequente nos filmes de Almodóvar) o que ajuda o espectador a não desgrudar os olhos da trama. O detalhamento das cenas é algo esplêndido. As partes de interação entre os personagens, praticamente nos transportam pra dentro da história. Há, também, presença marcante de  cores fortes e vivas, como todo filme do cineasta.

Antonio Banderas tem um desempenho admirável e impressiona em alguns momentos, provando que os diretores americanos estão lhe “apertando o botão errado”. A veterana espanhola Marisa Paredes, eterna musa de Almodóvar, faz o papel da intrigante Marilia e tem ótimos diálogos com o personagem de Banderas.

Blanca Suárez aparece pouco, dando vida à filha do personagem principal, mas tem papel importante na história. Era preciso uma dotada atriz para essa função, pois muito da tensão do filme gira em torno do que acontece em suas cenas. Jan Cornet interpreta Vicente, a princípio um coadjuvante qualquer, até que as reviravoltas da narrativa desmentem essa afirmação.

A Pele Que Habito não se aprofunda nos temas que sugere no decorrer de sua história – desejos reprimidos, psicanálise, traumas do passado –, e a medida que enigmas vão sendo desvendados, perde um pouco o ritmo. Mas nada que tire o brilho deste trabalho quase impecável do famoso diretor.

(4/5)
A Pele Que Habito (La Piel Que Habito)
Espanha, 2011 – 117 min.
Direção: Pedro Almodóvar. | Roteiro: Augustín Almodóvar e Pedro Almodóvar.
Elenco: Antonio Banderas, Elena Anaya, Marisa Paredes, Jan Cornet, Blanca Suárez.

  • eduardo

    Gostei do texto. Parece ser um belo filme mesmo, estou bem curioso.

  • Denis

    o filme é otimo!!

  • Ana Paula

    Um dos meus filmes favoritos.