“The Raid”: ação-sem-noção da Indonésia

Depois da China e Tailândia demonstrarem seus talentos para a pancadaria desenfreada, chegou a vez da Indonésia roubar à cena. The Raid, longa de ação policial premiado no Festival Internacional de Toronto pelo público da mostra “Midnight Madness” (dedicada a filmes extremos), vem chamando à atenção tanto por sua qualidade técnica quanto as absurdas coreografias de artes marciais.

Dirigido, escrito e editado por Gareth Huw Evans (Merantau) e estrelado por Iko Uwais (uma espécie de Tony Jaa mais jovem), o filme foi comparado a The Killer e Fervura Máxima obras dirigidas por John Woo em sua fase pré-importação.

A trama se passa dentro de um edifício dominado por gangsters e assassinos, localizado numa favela de Jacarta. O prédio, considerado impenetrável e seguro pelos criminosos é invadido na calada da noite por uma equipe da SWAT encarregada de prender um poderoso chefão do tráfico. Obviamente, as coisas não saem como planejado e, encuralados no sexto andar, os soldados agora precisam lutar para sobreviver.

Filmes de artes marciais são verdadeiras sensações nos países malaios, sobretudo Malásia e Indonésia onde o estilo de luta Pentjak-Silat é bastante difundido. Esta arte possui uma grande variedade de movimentos ofensivos e defensivos e é baseado em diversos golpes de braço, chutes, agarramentos, arremessos, movimentos com os pés e técnicas que usam armas. Assista abaixo ao frenético trailer-clip e perceba:

The Raid só estreia em seu país de origem em janeiro de 2012. Nos EUA, onde o longa deve ganhar uma nova trilha sonora pelas mãos de Mike Shinoda do Linkin Park, a data é incerta, embora alguns sites de cinema apostem em março.