Crítica: Namorados para Sempre

Namorados para Sempre

Terminar um relacionamento não é fácil. Às vezes, começar também não. A verdade é que mantê-lo é que é o mais difícil. Ora com poesia ora sem poesia alguma, é com esta visão realista que o diretor Derek Ciafrance transpõe para a tela um dos amores mais comuns: aquele que é baseado na ocasião, quando nunca realmente existiu.

Dean (Ryan Gosling de Um Crime de Mestre) e Cindy (Michelle Williams de A Ilha do Medo) não vivem o melhor dos momentos no casamento, mas fazem de tudo para esconder isso da filha. Ele faz de tudo para remediar a situação, mas ela, por algum motivo, não parece mais disposta a trilhar aquele caminho.

Por mais que o personagem de Gosling seja extremamente bonzinho e simpático, fica claro que existem motivos reais para a frustração da mulher. É com uma montagem sutil e de difícil leitura – para o espectador acostumado a linearidades – que o filme explicará, bem aos poucos, porquê o casamento não deu certo.

O primeiro quarto do longa é dedicado a construir a mise-en-scène de crise, deixando fértil o terreno para o que se segue. “Como confiar nos sentimentos, quando eles desaparecem?”, pergunta a filha. “Acho que você só poderá descobrir, se tiver o sentimento”, responde a avó. Naquele diálogo aparentemente solto no meio do filme reside a chave para a sua total compreensão.

A fervura ou frieza do casal não é fruto do acaso. É influenciado por circunstâncias, pessoas e desejos oprimidos. O que se passa hoje é resultado do que foi construído desde o passado. O longa nos joga na cara que, por estas e por outras, não podemos julgar as atitudes de cada um (por mais estranhas que pareçam no momento), sem sabermos exatamente o quê as levou a cometê-las.

Salvo raros momentos românticos encantadores é no clima depressivo em que o filme se baseia. Num quarto de motel, de decoração futurista, capenga e azulada, o diretor encontra o cenário perfeito para desenvolver o seu Blue Valentine. Filme de baixíssimo orçamento (apenas 1 milhão de dólares), é mais uma produção independente mostrando que a força de uma obra está no seu roteiro e na paixão com que seus envolvidos a realizam.

(4/5)
Namorados Para Sempre (Blue Valentine)
Estados Unidos, 2011 – 112 min.
Direção: Derek Cianfrance. ! Roteiro: Cami Delavigne, Joey Curtis e Derek Cianfrance.
Elenco: Ryan Gosling, Michelle Williams, Faith Wladyka, John Doman, Ben Shenkman.

  • desculpe , vi esse filme a um tempo ja legendado , é muito ruim entediante..

  • felipe

    concordo, vi esse filme no começo desse ano e é uma merda ! chato pra cacete !!

  • marcelo

    na verdade cada um tem uma opiniao.mas o filme é bom sim.ñ adianata o cara que odeia romances opinar.que procure filme que lhe apraz.um filme bem feito ultrapassa os generos e emoçoes!!

  • LanaBrasil

    Achei bem interessante. Muito bom trabalho do ator John Doman. E, por isso, estou na expectativa da estréia da série que ele participa, Borgia, que fala sobre a ambição de uma família para chegar ao poder no Vaticano. Quero muito assistir.