Crítica: O Poder e A Lei

O Poder e A Lei

É quase um consenso no meio cinematográfico: adaptações de obras literárias estão condenadas a perderem impacto em sua transposição para às telas. Se The Lincoln Lawyer (baseado no best-seller homônimo escrito por Michael Connelly em 2005 e batizado aqui de Advogado de Porta de Cadeia), fosse acusado de tal injúrio, seria injustamente. O fime, no mínimo, empata com o livro.

Este mérito, cabe ao jovem diretor Brad Furman, que soube dar ao seu longa um ritmo envolvente, mostrando-se conhecedor do processo desde a cena inicial, quando desconstrói o estereótipo do advogado glamourizado por Hollywood, retratando sem firulas o mundo amoral em que se movem estes profissionais.

Na trama, Mickey Haller (Matthew McConaughey), um sujeito de poucos princípios éticos e acostumado a salvar a pele de seus clientes – quase sempre culpados -, tem uma crise de consciência ao pegar o caso de um suposto espancamento de uma prostituta por um herdeiro de familia rica do ramo imobiliário (Ryan Phillipe). O que inicialmente parecia ser sinônimo de uma grande bolada, transforma-se num esquema sórdido que coloca em risco a vida de todos à sua volta.

E é nesta reviravolta que o roteiro adaptado por John Romano alavanca o thriller e ganha o espectador. Ao explorar com brilhantismo o dilema que Haller – de mãos atadas para não comprometer sua carreira – passa a viver quando descobre que está sendo ludibriado por seu cliente, o longa levanta questões morais e éticas demonstrando como os meandros do sistema judiciário podem ser burlados de acordo a conveniência.

Com uma certa atmosfera setentista, coadjuvantes de peso (William H. Macy, Marisa Tomei, Michael Peña, John Leguizamo), diálogos duvidosos e uma trama que coloca em cheque o real senso da justiça, O Poder e A Lei agrada principalmente por ir na contramão dos filmes de tribunal. Um subgênero que há muitos anos não oferecia uma produção de qualidade como esta.

Ainda em tempo: o título original faz menção ao “escritório” ambulante do personagem de McConaughey, um automóvel preto modelo Lincoln 1958 brilhando como novo.

(4/5)
O Poder e A Lei (The Lincoln Lawyer)
Estados Unidos, 2011 – 118 min.
Direção: Brad Furman. | Roteiro: John Romano.
Elenco: Matthew McConaughey, Marisa Tomei, Ryan Phillippe, William H. Macy, Josh Lucas.