Hollywood e a pílula da inteligência

De acordo com a teoria da evolução, se formos inteligentes o bastante para inventar uma tecnologia capaz de aumentar a nossa capacidade cerebral, deveríamos aproveitar essa vantagem. E é justamente isso que o personagem de Bradley Cooper faz em Limitless, ficção científica que aborda o universo das “drogas da inteligência” (estimulantes cognitivos que melhoram a memória e apuram as sinapses).

Na trama, Eddie Morra (Cooper) é um escritor novaiorquino em início de carreira que, por acaso, consegue a mais avançada smart pill do mercado: a NZT. Uma vez ingeridas, são controladas por computador para liberar substâncias no corpo na hora marcada, permitindo o uso de 100% das capacidades do cérebro. Sob o efeito da medicação, ele alcança um repentino sucesso financeiro e social, mas logo descobre que a droga tem efeitos colaterais letais e de longo prazo. Também não demora para que ele comece a ser perseguido por antagonistas misteriosos.

Dirigido por Neil Burger (O Ilusionista), o longa é uma adaptação do livro The Dark Fields de Alan Glynn.  No elenco também estão Robert De Niro (como um milionário mafioso que explora o talento do protagonista) e a australiana Abbie Cornish (o interesse romântico). Assista abaixo ao trailer legendado:

Limitless não é tem muita ficção assim. Muitas “drogas da inteligência” estão na fase de testes clínicos e devem chegar ao mercado em menos de cinco anos. Algumas medicações atualmente disponíveis para pacientes com problemas de memória podem aumentar a inteligência também de pessoas saudáveis.

Desde 2003, laboratórios farmacêuticos vem testando este tipo de drogas em pacientes portadores de Alzheimer com algum sucesso. Ainda há um grande caminho a ser percorrido para aprovar esses medicamentos, contudo, Ritalin e Provigil – normalmente prescritos para crianças com transtornos de hiperatividade e/ou com déficit de atenção – tem sido usado por estudantes para aumentar a perspicácia mental.

Semanas antes da divulgação do trailer, um viral do filme começou a circular pela internet onde o personagem de Bradley Cooper aparece como garoto propaganda do revolucionário comprimido. O vídeo, promete aos usuários da medicação a possibilidade de utilizar todo o seu potencial cerebral, tornando assim as atividades do dia a dia mais proveitosas e fáceis de serem realizadas. No final do spot, as reações secundárias também são anunciadas: paralisia, psicoses, lesões cerebrais e morte súbita! Confira:

Vamos torcer para que nenhum fabricante mercenário coloque no mercado smart pills com os mesmos efeitos colaterais da NZT. A sci-fi médica está programada para chegar às salas americanas em 18 de março de 2011.

  • Haha, não havia assistido essa propaganda. Genial. Abraço 🙂

  • hahaha. esse viral é ótimo. Aposto que já tem louco que abstraiu da morte instantânea e tá procurando nzt por ai.