Crítica: Os Outros Caras


Os Outros Caras

Nunca simpatizei com Will Ferrell. Excetuando-se Mais Estranho Que a Ficção e o curta The Landlord (onde contracena com uma garotinha de apenas dois anos), acho sua filmografia dispensável. Não foi a toa que a revista Forbes, especializada em finanças, o elegeu pelo segundo ano consecutivo como o pior ator custo-benefício de Hollywood, ou seja, ele esta faturando demais e dando lucro de menos.

Entretanto, preciso confessar: dei boas risadas em Os Outros Caras. Desde Austin Powers que eu não via uma quantidade tão grande de diálogos e cenas estapafúrdias num único filme. Dirigido por Adam McKay (O Âncora, Quase Irmãos), a comédia é uma divertida sátira aos buddy cop movies (duplas policiais que a princípio não se entendem, mas se tornam amigos) que envolvem cenas de ação explosivas e personagens praticamente imortais.

Allen Gamble (Will Ferrell) e Terry Hoitz (Mark Wahlberg, deslocado no papel) são dois tiras que trabalham no setor burocrático do departamento de Nova York. Enquanto Gamble é um técnico forense que gosta do  escritório, Hoitz é um sujeito desperado por notoriedade nas ruas, que viu sua carreira ir para o ralo depois que alvejou acidentalmente Derek Jeter, jogador do New York Yankees, durante uma final do Campeonato Mundial de Basebol.

A dupla têm como ídolos, Danson e Highsmith (Dwayne Johnson e Samuel L. Jackson), os heróis da cidade que pegam todos os casos e enfrentam os mais perigosos bandidos. Alvo de constantes brincadeiras dos colegas, os dois acidentalmente descobrem que o roubo a uma joalheria esconde um golpe financeiro bilionário. Entretanto, como são vistos como “perdedores”, suam para passar credibilidade ao Capitão Gene (Michael Keaton) e na hora de mostrar desenvoltura, só se metem em trapalhadas.

O filme se apoia no histrionismo de Ferrel para fazer graça. A investigação da dupla quase sempre é interrompida por alguma piada escrachada envolvendo o ator. Uma das melhores é mostrar seu personagem nerd e pouco atraente como alvo de assédio de mulheres gostosas – entre elas, a curvilínia Sheila (Eva Mendes), com quem é casado. Felizmente, o diretor e roteirista Mckay sabe transitar entre os gêneros sem deixar que a história se perca no meio do caminho.

O enredo também traz embutido um crítica sutil aos meios de comunicação e ao episódio Madoff – que gerou prejuízos de 50 bilhões de dólares a economia americana -, mas pouca gente vai prestar atenção. Fica realmente dificil processar a mensagem moral com tantas gags visuais absurdas pipocando na tela.

(3.5/5)
Os Outros Caras (The Other Guys)
Estados Unidos, 2010 – 107 min.
Direção: Adam McKay. | Roteiro: Chris Henchy e Adam McKay.
Elenco: Will Ferrell, Mark Wahlberg, Eva Mendes, Michael Keaton, Samuel L. Jackson, Dwayne Johnson.

  • ricardo

    Cara, eu também gostei do filme, acho que as cenas absurdas que conseguiram alavancar a comédia na história e nada como o rei das cenas absurdas Will Ferrell, para realizar a tarefa, como fez em Step Brothers.