Crítica: [REC]² Possuídos


REC 2 A Espanha tomou de assalto o gênero horror em 2007 quando [REC] foi lançado. Mesmo bebendo na mesma fonte dos filmes de zumbis dos últimos anos (Extermínio, Madrugada dos Mortos), o longa dirigido por Jaume Balagueró e Paco Plaza, foi uma agradável surpresa por mesclar terror de primeira qualidade com boas cenas claustrofóbicas, além de utilizar de forma criativa a velha ideia da narrativa metalinguística.

[REC]² Possuídos infelizmente sofre do “mal das continuações” onde sequências se vêem na obrigação de explicar o original e hiberbolizar o conteúdo (leia-se sangue, violência, correrias). O resultado não é menos que decepcionante. O enredo começa exatamente 15 minutos após o término do primeiro, quando um esquadrão tático do exército (equipado com câmeras de vídeo em seus capacetes), além de um médico, entra no edifício onde a suposta infecção aconteceu.

Dentro do lugar, o roteiro dá sua primeira guinada absurda: o tal médico revela-se um padre, tira uma cruz do bolso e começa a expulsar o demônio de tudo quanto é morto-vivo que aparece. A trama segue com infectados, que agora são tratados como possuídos. Neste meio tempo, o grupo encontra crianças endemoniadas, sangue que pega fogo e literalmente o diabo a quatro, sem o fraco script se decidir qual subgênero ele deve trilhar (zumbis ou possessões?).

Lá pela metade, outra forçação de barra acontece quando três adolescentes (e uma câmera) conseguem furar o bloqueio policial e entrar no lugar. As sequências de ação agora misturam os vídeos captados pelos capacetes dos policiais com a filmadora dos moleques. Ah, vale salientar que até o equipamento do primeiro longa é encontrado e utilizado, o que significa novas cenas com visão noturna. Nem mesmo toda esta “criatividade” na hora de mesclar as imagens torna o longa mais interessante.

A atmosfera de suspense que rondava o prédio mais sombrio de Madri se dissipou. Certo, o fator surpresa do filme de 2007 é incontornável, mas custava um pouco mais de cuidado com o roteiro? O que funcionou no [REC] original já não tem o mesmo efeito e as mudanças foram para pior. Até mesmo os fãs do gênero vão se sentir logrados com esta continuação caça-níquéis.

O fraco desempenho do horror espanhol nas bilheterias internacionais não impediu os diretores/roteiristas/mercenários Jaume Balagueró e Paco Plaza de prosseguirem com sua franquia. [REC]³ Genesis já foi anunciado e segundo os realizadores, a ação vai se passar fora do edifício. Não espante se desta vez os caras resolverem enfiar alienígenas malvados na história.

(2/5)
[REC]² Possuídos (REC²)
Espanha, 2009 – 85 min.
Direção: Jaume Balagueró e Paco Plaza. | Roteiro: Manu Díez, Jaume Balagueró e Paco Plaza.
Elenco: Manuela Velasco, Ferran Terraza, Óscar Zafra, Pep Molina, Ariel Casas, Jonathan Mellor.

  • Não tenho nem medo de encher a boca pra dizer que esse filme é uma desgraça completa. O primeiro é bom demais, mas isso aí é realmente "caça níqueis" da pior qualidade.

  • Eduardo

    Continuação sem vergonha do excelente REC. Ouvi dizer que Quarentena vai ter uma continuação também, mas com uma história totalmente diferente desse REC2. Confesso que fiquei até animado pela continuação de Quarentena.

  • Hahaha que interessante! Eu não soube o que pensar na hora em que vi o cartaz desse filme ontem. Porque, realmente, o REC espanhol me assustou muuuuuito.

    Ontem, eu assisti The Inception, inclusive! Realmente compartilho da sua opinião. O filme é DEZ! Eu senti que ele era quase perfeito, o único problema foi perto do final do filme, quando achei que ele estava se alongando um pouco.

  • Hugo Mariatti

    Não ia me dar ao trabalho, mas como tenho opinião completamente contrária a de vcs acho válida (se 2 pessoas pensam exatamtne igual, uma delas é desnecessária).

    Gostei bastante desta continuação. Claro uqe é mais do mesmo. Mas foram elevadas as possibilidades. Justamtne as varias cameras dos policiais, a camera dos garotos e a antiga dao possibilidades a trama que antes não se tinha. Com isso o filme fica ate mais emocionante.

    No inicio fiquei desanimado com o lance de na verdade os zumbis serem possessões, mas no fim achei até legal, porque desta forma tambem se eleva as possiblidades de roteiro.

    Quem ainda aguenta zumbis do mesmo jeito, com as mesmas limitaçoes, possibilidades, etc?Se o filme continuasse com o lance de zumbis, já saberiamos do começo ao fim como terminaria, e ai sim a sequencia seria desnecessaria e caça niquel. Seria muito facil usar a mesma formula.

    Por fim, achei o filme uma otima sequencia, que assustou e manteve a sensação de suspense até o fim. Que alias, foi 'quase' inesperado e muito bom.

    Não confio na proxima sequencia, mas tambem não botava fé neste, que dou nota 8, 1 a menos que o primeiro.

    Abraços.

  • Eduardo

    Cada um tem sua opinião, claro! Mas, sem dúvida alguma, essa história de querer mudar os "Zumbis" para possuídos foi, com certeza, muito sem vergonha e sem graça. Aliás, eles só fizeram essa continuação a fim de lucrar com o sucesso do primeiro, ou seja, oportunismo sem vergonha dos diretores!

    E sobre o titulo "Possuídos". Só o titulo já revela o segredo do filme, enfim até o título foi muito ruim… Mas, gosto é gosto.

    Eu ainda não assisti essa continuação, então não posso falar muito, mas quem sabe algum dia eu assista, mas por enquanto, acho melhor não.

  • Allan

    esse filme ta bom bem mais assurtador q o primeiro
    mto legal

  • Joao

    Como os brasileiros adora inovar os títulos. O espanhol não tem esse "possuídos" no título.

  • marcelo

    Depois que li a critica do Getro, alias, excelente blog, fiquei um pouco desanimado, mas enfim, é como alguem que disse acima, é MAIS DO QUE O MESMO, e se o "mesmo" tinha sido bom, a continuação manteve o "clima"… vendo as notas do IMDb, vejo que a linha de pensamento da maioria é esta… As explicações que o filme dá para demonios achei fracas, mas não dá para descartar ALIENS como o Getro disse com o final… alias, a continuação tem nome de APOCALIPSE.

    • Olá, Marcelo. O objetivo da critica é apenas expressar minha opinião. Quem sou eu para dizer que filme os visitantes do blog devem ou não assistir. Abraço e grato pelos elogios!

  • Livia

    Tenho que concordar com o João, sempre tentar dar uma "inovada" no titulo hahahaha

    Mas enfim… gostei bastante do primeiro e fiquei na expectativa pelo segundo. Fugiu bastante da idéia inicial e essa história de demônios… tsc tsc Tentaram fugir do clichê dos filmes de zumbis, dando um desfecho diferente, mas não gostei!

  • joão R

    Quando vi rec 1 quase morri de alegria tinha sido o melhor filme de zumbi que eu tinha visto depois de madrugada dos mortos, e como sempre acontece no rec2 eles jogaram um balde de agua fria, tomara que os produtores de rec3 não assista sky line a invasão por que se nao fica muita mistureba. ahh e por isso e outros filmes que fogem das historias que eu temo por tentarem fazer algum filme do classico Metal Gear ja pensou o que iria virar.

  • Vitor

    O sucesso que o primeiro filme fez somado ao lucro que ele gerou deve ter feito a equipe criativa ir longe demais pra ter feito uma continuação que nem essa. O primeiro filme se aproximou muito da realidade, já que era só um vírus, aparentemente, e pessoas comuns com medo dentro do survival, aí vem o sobrenatural e a computação gráfica e acaba com tudo, que legal. [REC] num devia nem ter continuação, é único, ou se tivesse, pelo menos uma que fizesse jus.

  • Milla

    A quem assista filme pensando em enredo, a quem assista pensando em se divertir. Eu me diverti.

    Concordo que a mudança do vírus pra possuídos foi uma burrice depois de um filme excelente como o primeiro. Se fossem dois filmes independentes, seriam perfeitos. Mas apesar dos pesares sustos garantidos, e é isso que quero quando vejo filme de terror, o resto é resto.

    Ps: o melhor de tudo é ver críticos do quarentena comentar o quão copiões foram os americanos em cima do brilhantismo dos espanhóis, pra uma sequencia depois caírem na mesma rotina americana (dimdim), mordendo a própria língua, rsrsrsrs.

  • Milla

    Corrigindo… Há quem… Há quem, rsrsrs.