Crítica: Par Perfeito


Par Perfeito

No intuito de cativar o público masculino para um gênero diferente e manter o interesse da fatia de mercado feminina, Hollywood investiu massivamente no sub-subgênero “comédias românticas de ação”. Assim como Caçador de Recompensas e Encontro Explosivo, Par Perfeito faz parte desta leva que invadiu os cinemas este ano. O desempenho decepcionante nas bilheterias estadunidenses (semelhante aos demais citados), comprova que o tempo em que apenas “rostinhos bonitos” eram garantia de retorno financeiro já passou.

As comédias que Ashton Kutcher e Katherine Heigl têm protagonizado nos últimos anos não são um exemplo de excelência ou de criatividade, no entanto, bem menos enfadonhas e vazias do que este Killers. O pior é que o longa até começa interessante, com a história usando a maravilhosa Cote-d’azur como cenário, para depois descambar num enredo pouco convincente ou interessante.

Heigl, pela enésima vez no papel de loira desajeitada, faz Jen, uma solteirona em viagem de férias ao sul da França que conhece Spencer (Kutcher), um jovem galanteador, educado e inteligente. Os dois acabam se apaixonando, mas o que a bela não imagina é que o sujeito é um matador de aluguel, contratado pelo governo.

Três anos depois, eles estão casados e vivendo num típico subúrbio norte-americano. A paz acaba quando Spencer descobre que está com a cabeça à prêmio. A partir daí, o longa se transforma num corre-corre de vida ou morte, onde os assassinos podem ser qualquer pessoa: amigos, vizinhos, colegas de trabalho, o caixa do supermercado e até você que está revoltado por ter gasto seu rico dinheirinho para assistir esta bobagem.

A fórmula narrativa utilizada não é nenhuma novidade (mulher encontra espião, espião apaixona-se e não revela identidade, espião e mulher ficam juntos, pessoas tentam matar o espião) mas já rendeu frutos melhores como Sr. & Sra. Smith (2005) e o recente Uma Noite Fora de Série. Aqui, o roteiro insosso de Bob DeRosa e Ted Griffin e a direção frouxa de Robert Luketic (A Verdade Nua e Crua, A Sogra) não conseguem livrar o filme da mediocridade.

(1/5)
Par Perfeito (Killers)
Estados Unidos, 2010 – 93 min.
Direção: Robert Luketic. Roteiro: Bob DeRosa e Ted Griffin.
Elenco: Ashton Kutcher, Katherine Heigl, Tom Selleck, Catherine O’Hara, Katheryn Winnick.

  • Ruim demais, ruim demais.

  • Danny

    Gente, ontem eu assisti este filme e gostei bastante. RECOMENDO que assistam, não chega a ser uma comédia romântica. É um filme de romance com ação. ADOREIIIII, meu marido de inicio não queria ver, porém a ação chamou a atenção dele. MUIITOOOOOOOO BOM

  • kamilla

    eu esperava mais…tb achei, pelo inicio, que seria um filme bom…mais do meu pro final ficou cansativo e sem graça…é olha que eu gosto deste tipo de gênero, é tb dos atores Ashton Kutcher e Katherine Heigl , achei que teria mais quimica entre os dois…mais n aconteceu…é um pena