Crítica: Karatê Kid


Karate Kid Karate Kid, enorme sucesso na década de 1980, volta as telas neste remake rejuvenescido que transfere a ação da América do Norte para a China. Na história, o jovem Dre (Jaden Smith) muda-se com sua mãe (Taraji P. Henson) para Pequim. Os motivos não ficam muito explícitos, mas o fato é que, ao chegar no novo continente, o garoto se vê completamente perdido. Além do choque cultural, um problema ainda maior surge quando ele começa sofrer bullying de um grupo de moleques que não quer vê-lo perto de uma bela chinesinha.

Sem amigos na nova cidade, Dre não tem a quem recorrer exceto o zelador do seu prédio, Mr. Han (Jackie Chan), que é secretamente um mestre do kung fu. Depois de salvá-lo de uma surra, o recluso sujeito resolve tornar-se seu mentor e iniciá-lo na arte marcial. À medida que Han ensina Dre o kung fu, o garoto vai aprendendo o que é necessário para sobreviver do outro lado do mundo.

O roteiro escrito por Christopher Murphey e Robert Mark Kamen demora para entrar nos eixos (o longa tem 2h20min de duração!), e não traz nada de novo em relação ao original. Mas isso não quer dizer que o filme não tenha seus méritos. Além de atualizar a história, somos brindados com uma bela direção de arte, fotografia e uma trilha sonora agradável e diversificada – mesmo com a ausência do Peter Cetera.

O elenco coadjuvante é mediano. Já o protagonista mirim Jaden Smith, que se submeteu a um intenso treinamento físico antes do inicio das filmagens, demonstra que leva jeito para o oficio, e talvez agora possa caminhar com as próprias pernas livrando-se do estigma de ser conhecido como “o filho de Will Smith” (que produz a obra ao lado da esposa, Jada Pinkett Smith). Jackie Chan não tem o carisma do Sr. Miyagi (Noriyuki “Pat” Morita) mas também não faz feio, num papel dramático que exige pouco de suas habilidades acrobáticas.

A bilheteria norte-americana já ultrapassou os U$ 170 milhões apesar da refilmagem ter deixado o público e a crítica divididos. Enquanto alguns reclamavam da idade do aprendiz (no original, Ralph Macchio tinha 17; Jaden tem apenas 12 anos), outros acusavam o título de absurdo, uma vez que a trama gira em torno do kung-fu e não do karatê.

Bom, sem aprofundar muito no assunto e viajando na “maionese”, segundo a doutrina, o Karatê é “um processo de auto-conhecimento e de investimento no crescimento pessoal”, o que tem tudo a ver com o espírito do filme. No trailer, uma única referência aparece, quando o menino tenta defender-se de um ataque com seu pouco conhecimento dessa arte marcial japonesa, e é chamado pelos agressores de Karate Kid. Com a ideia, o diretor Harald Zwart (A Pantera Cor-de-Rosa 2) quis homenagear o filme de 1984, mas estranhamente o trecho não aparece na montagem final.

Quanto a idade do ator, uma simples matemática marketeira explica a mundança: Quem tinha entre 15 e 17 anos na época em que o primeiro Karate Kid foi lançado, atualmente está com mais de 40 e, provavelmente, já é um pai/mãe de familia com filhos na faixa etária dos 10 a 12. Ou seja, o público alvo do longa são estes adultos (e não os adolescentes barulhentos), que vão ter no drama uma boa oportunidade para acompanhar suas crias ao cinema.

Apesar de algumas poucas derrapagens e sua duração excessiva, o remake funciona como ótimo programa para uma “sessão da tarde”. Assim como o clássico oitentista, Karate Kid traz reflexões e demonstra muito bem os valores da amizade, respeito, disciplina, honra, perseverança … artigos de luxo dificeis de encontrar nos filmes juvenis atuais.

(3.5/5)
Karate Kid (The Karate Kid)
Estados Unidos / China, 2010 – 140 min.
Direção: Harald Zwart. | Roteiro: Christopher Murphey e Mark Kamen.
Elenco: Jaden Smith, Jackie Chan, Taraji P. Henson, Wenwen Han, Rongguang Yu.

  • Que sorte a sua de conseguir conferir o filme antes. Vejo agora na sexta. Parece bom. Abraço :)

  • Interessante sua observação em relação a idade dos meninos serem para agradar os fãs anteriores agora com filhos na mesma idade. Não tinha pensado nisso. O filme é isso mesmo que falou, um bom entretenimento. Vale a pipoca.

    abraços

  • marcos

    é esse Karete Kid deve ser assistido sem fazer comparações com o primeiro!(o que é meio dificil!) o filho do Will Smith o Jaden como você disse parece ter futuro como ator! sorte e sucesso pro garoto! acho que o Sr.Miyagi deve estar feliz vendo esse filme lá no céu!

  • Estou pra conferir esta semana, tenho lido boas críticas como essa sua.

    Parabéns pelo blog! linkei ao meu.

  • Eduardo

    Karatê Kid fez parte da minha infância. Quando pequeno assistia muito. Vou assistir a esse remake assim que puder, mas não boto muito fé no filho Will Smith, não. Mas vou assistir com calma.

    E acho bem complicado assistir a um remake sem fazer comparações com o original, aliás, dificílimo. Principalmente quando o remake é de um clássico.

  • TeRRa

    Muito bom.. excelente..
    Assisti o filme e achei ótimo! Particularmente, fiquei emocionado com o filme.. E não fui o único, tanto que houve uma multidão no cinema, lotou e com todos aplaudindo e gritando….
    Achei ótimo e vou assistir de novo !!

  • Leandro

    Achei que poderia ser melhor, bem melhor na verdade.
    Tenho a opinião contrária no seguinte, Jackie Chan se saiu bem no papel, para quem normalmente só faz filmes de comédia/ação ele conseguiu moldar muito bem o Mr. Han.
    Já a cria de Will Smith para ser presunçoso pelo nome que carrega e deixa isto transparecer no personagem. As cenas de luta do campeonato são interessantes, já o golpe final foi estranho…
    Mas como dito, serve para sessão da tarde só que minha nota seria 5,0

  • willian

    este karate kid foi um lixo, em 1º lugar, karate é no japão não na china, 2º lugar u nome do filme é "karate kid" não kung fu kid. ate eu faria um filme melhor!!!

  • Luciane

    Que me perdoem todos que disseram que o filme não é bom, mas voces não devem ter assistido o mesmo que eu… Aliás, além de uma história e produção espetaculares, a atuação de todos os principais atores foi espetacular. O Jadem Smith é, sem questionamentos, um dos melhores atores infantis do momento, fazendo jus ao sobrenome que carrega. E Jack Chan, sua atuação foi simplesmente sensacional, como na maioria das vezes. Assim como eu, todos que estavam comigo assistindo o filme ficaram muito emocionados e contagiados.
    To esperando o filme com produção melhor que a do Karate Kid que o Willian diz saber fazer… Será o filme da década!!

  • willian

    eu falei q faria um filme melhor! mais num falei q ia faze animal!

  • Gustavo

    Desculpa pessoal, eu sei que criticar um filme é algo que amamos de paixão.
    Afinal de contas todos fariam melhor que quem fez… piada.
    Tenho acompanhado as críticas… todos sabem tudo menos o significado da palavra remake
    Uma releitura é TUDO menos fazer IGUAL com melhores efeitos especiais.
    Remake não é refazer é releitura.
    Os envolvidos com arte deveriam saber disso para evitar esses comentários desnecessários e tremendamente errados.
    Beleza, Getro?
    Be wise…

    • Olá, Gustavo.

      Concordo com você. Mas democracia é democracia. Temos que dar voz ao povo, mesmo quando ele não sabe o que está dizendo…

  • marcia

    As pessoas ficam se apegando a coisas bobas KARATE KID NO JAPÃO E KUNG FU NA CHINA, o que importa é a essência a mensagem que está sendo passada , o Jackie Chan está ótimo , realmente emocionou muito o Jaden tb. o garoto tem muito talento , em suma eu gostei do filme.

  • Arthur

    1º Karatê é no Japão/Kung Fu é na China e isso não se discute.
    2º Na minha opinião o filme ficou uma merda por isso se querem fazer um filme faça direito, por que isso na minha visão é racismo dos estado-unidenses dizendo que é tudo a mesma coisa Chines Japonês e Coreano é um desrespeito à eles, o filme em si pode ter ficado bom, mas isso estragou e foi um desrespeito aos ocidentais.
    3º Isso não é coisa "boba" é sério por que é a cultura dos povos de lá (artes-marciais) então deveriam respeitar sim eles.