Dramas de Guerra querem concorrer ao Oscar

O exército norte-americano está passando por uma forte ressaca moral. Pelo menos em Hollywood. Só isto para explicar os recentes longas de guerra produzidos no período 2008-2009. Primeiro foram os “documentários-denúncia” (Procedimento Operacional Padrão, Os Fantasmas de Abu Ghraid), depois os de “ação-espionagem-politicamente-incorretos” (O ReinoRede de Mentiras, Zona Verde) e agora chegou a vez dos “dramas-preciso-de-terapia”.

O primeiro a ser lançado foi Guerra ao Terror (The Hurt Locker) que estreou na terra do Tio Sam em circuito reduzido, não tinha nenhum nome conhecido no elenco principal (apesar das participações especiais de Guy Pierce, Ralph Fienes e Evangeline Lilly) e chegou direto em DVD ao Brasil.

A trama se concentra, basicamente, no dia-a-dia de três homens do exército americano responsáveis por desarmar bombas e minas terrestres no belicoso Iraque. Espetáculo visual cheio de discussões ideológicas, o tenso longa da diretora Kathryn Bigelow (Caçadores de Emoção) foi o grande vencedor do Gotham Independent, o primeiro troféu de destaque da temporada de prêmios do cinema nos EUA e é forte candidato ao Oscar 2010.



Entre Irmãos, estrelado por Jake Gyllenhall, Tobey Maguire e Natalie Portman estreou hoje nos Estados Unidos. O filme conta a história de um oficial da marinha (Maguire) que desaparece em uma missão na Afeganistão e é declarado como morto. Seu irmão (Gyllenhaal), considerado a ovelha negra da família, passa a cuidar de sua esposa (Portman) e de suas filhas. Não demora muito para essa relação se transformar em algo mais intenso. Mas é nesse momento que o irmão desaparecido retorna, provocando terríveis transformações em todos os envolvidos. Refilmagem da produção dinamarquesa assinada pela diretora Susanne Bier. O lançamento no Brasil está programado para fevereiro de 2010.



O Mensageiro, dirigido e escrito por Oren Moverman já ganhou o Urso de Prata de Berlim deste ano, na categoria Melhor Roteiro e foi bastante aplaudido no Festival de Sundance. O trama gira em torno do soldado americano Will (Ben Foster), mandado para casa após ferir-se no Iraque. Ele ainda tem ainda três meses de serviço e é remanejado para a “Divisão de Notificação de Falecimento de Militares no Front a Familiares”. Para enfrentar este trabalho doloroso, conta com um parceiro mais velho e mais experiente, Tony (Woody Harrelson), com quem acaba desenvolvendo uma grande amizade. Contudo, um dia Will quebra o código de conduta e se apaixona por uma das viúvas que encontra em serviço, Olívia (Samantha Morton), e a paixão o coloca em um terrível dilema moral. O filme teve lançamento limitado em novembro nos EUA e foi exibido no Festival do Rio deste ano, mas ainda não há previsão de estreia no circuito comercial brazuca.