Já começaram os processos de "Brüno"

O britânico Sacha Baron Cohen colecionou processos por causa do hilariante Borat. Agora a situação se repete com a sua nova e polêmica comédia, Brüno.

Cohen sabe que muitas vezes os preconceitos, por mais terríveis que sejam, propagam-se melhor de uma forma ingênua e indiferente do que quando impostos pela lei ou pela força. Então, utiliza do humor na base do constrangimento para fazer com que as pessoas revelem seu lado mais obscuro sem ao menos perceber.

Foi o que aconteceu com Richelle Olson, presidente interina de uma instituição de caridade da Califórnia. Segundo o site de fofocas TMZ, ela está movendo um ação por danos morais contra Cohen, acusando-o de agressão física e por ter usado linguagem chula quando apareceu caracterizado como Brüno em um dos eventos beneficentes que organizou em 2007.

Richelle e os convidados foram surpreendidos pelo ator que, segundo ela, surgiu fazendo uma “caricatura ofensiva de um homossexual” e estava vestido com uma roupa “ultrajante e sexualmente reveladora“. Afirma também que ao tentar tirar o microfone da mão do ator, ele a empurrou. Richelle ficou tão nervosa que acabou batendo a cabeça acidentalmente e foi levada para o hospital em seguida.

Outro que não quer ver o comediante nem pintado de ouro é o palestino Ayman Abu Aita. Ayman (que no filme é tido como líder de uma suposta célula terrorista) não gostou da forma como foi retratado na película e já procurou um escritório de advocacia: “Ele disse que esse filme ajudaria a causa palestina. Quando descobri do que se tratava realmente, não consegui acreditar“, teria dito Abu Aita à agência de notícias WND.

Na cena em questão, Brüno entrevista Ayman e lhe diz, entre outros absurdos, que o cabelo do “terrorista” está ressecado demais e que Osama bin Laden deveria raspar a barba. O filme é novamente um mockumentary (documentário ficcional). Nele, Baron Cohen interpreta o personagem título, um repórter de moda gay austríaco que parte para os Estados Unidos a fim de levar seu programa de TV para lá.

Vale lembrar que Borat recebeu cerca de 15o processos após o seu lançamento. Grande parte pelas pessoas expostas ao ridículo por si próprias em filmagens que não sabiam do que se tratava. Então, não se assuste caso apareçam outros processos para Brüno antes dele estrear por aqui, em 14 de agosto.

  • Vini

    com um cartaz desse eu tenho ateh medo de entrar no cinema…

  • jessica

    adorei o filme